terça-feira, 31 de março de 2009

O que é que fazemos quando...

... vamos ao cinema com um gajo, e o menino chora a ver o filme?

Maldito Marley!

(atenção, chorou naquele estilo "deixa-me cá endireitar na cadeira, meter um ar superior e compostinho, que me entrou uma coisa para o olho, estou com alergia, pronto, ok, vai daí estou meio a chorar")

17 comentários:

Fada disse...

Consolas o menino, e quando ele já estiver consolado, gozas descaradamente com ele... :D

beijocas :D

Tixa disse...

Linda, passa no meu cantinho tenho uma supresa para ti.
beijos

Anónimo disse...

Diagnóstico:
1. está-se a fazer de "sensível", porque quer consolo

2. é "sensível" pelo que eventualmente é um artista plástico, jardineiro ou apoiante da QUERCUS

3. entrou "realmente" uma poeira para o olho

4. está em fase de "sensibilidade" sentimental devido a um trauma de infância, adolescência ou outro

Prescrição:
Faz amor com ele, 3 vezes por semana, dizendo-lhe como ele é fantástico, bonito e sensualmente sensível.

Que vai dar um excelente marido, e que deviam haver mais homens assim.

Eu mesma! disse...

tadinho....
acho que ele queria mimos... queria mesmo miminhos...

:)

AnaD/FG disse...

Nesse caso em particular (o Marley) ... choras com ele.

GarFFinha disse...

Não se faz nada... tb tem direito a ser sensível!!! :D Afinal de contas não somos só nós!

de Marte disse...

Eu cá acho q esse menino é o anónimo... :)
E já se está a pôr a jeito para que faças amor com ele três vezes por semana, que cases com ele e sejas mãe dos seus filhos.

Só há uma maneira de saber:
se fizeres o que diz o anónimo, a maior parte dos homens desaparece da tua vida no momento em que falares em casar. :) se ficar, é o anónimo...

Anónimo disse...

@de Marte: não sou eu, mas não tenho problemas em largar umas lágrimas, num momento que seja sensível.

Agora depende da sensibilidade de cada um.

Quanto à Belota, dúvido que ela ande por aí a "pedir pra casar"... ela gosta dos bad-boys e eu definitivamente não faria o género dela.

Para além disso, neste momento tou em fase de investimento numa relação :) E como todos sabem, uma relação necessita de investimento continuo ;)

Anónimo disse...

o filme é de deixar qualquer um a chorar :)

j.

de Marte disse...

Anónimo (que me respondeu)...
casa comigoooooooooooooooooooo!!!

:)

ihihih, calma, tenho de saber mostrar quando estou a brincar senão ainda sou mal interpretada!

Muito bom, muito bom. Investir numa relação. Investir continuamente numna relação. Ainda há investimentos que valem a pena, no meio de tanta crise!!

Go for it! :)

Muah!

Walter Fane disse...

Lagrimas de crocodilo!!
Quer comer. lololol
bjoooooos

Pedro disse...

Finge que não destes conta!
(assim como assim, elas sempre fingem e eles nem sempre se importam)
Ficas a saber que foste ao cinema com alguém que é sensivel, logo provavelmente boa pessoa!
Assim que a coisa passar, pregas-lhe um beijo, daqueles, ele merece, pelos vistos!
Aproveita a companhia.
Para a próxima escolhe outro tipo de filme, assim evitas embaraços desnecessários, ao rapaz e a ti.

Pedro disse...

Há, esqueçi, quero vêr se vejo o filme só e em casa pois cheira-me a lamechice certa.

Ana disse...

"Anónimo (que me respondeu)...
casa comigoooooooooooooooooooo!!!

:)

ihihih, calma, tenho de saber mostrar quando estou a brincar senão ainda sou mal interpretada!"


ahahaha

foste tarde! eu apanhei-o primeiro ;)

Jiboia disse...

Belota, isso faz do teu companheiro de cinema o quê?

Uma pessoa menor?
Um mariquinhas?

Ainda que penses assim, se calhar há tantas e tantas outras coisas boas nele...

Já descobriste isso? :o)

Juky disse...

Que fofinhoooo! :)))))

Laredo disse...

Belota, esta foi triste. Só ele é que chorou? E tu não?? ...que falta de sensibilidade.
Até eu chorei, bom, foi mais a lágrima ao canto do olho... tinha ido ver uma comédia e afinal saiu-me um drama de puxar à lágrima.
E o mais giro é que no fim de tudo, a sala já praticamente vazia e ainda havia quem chorasse sentado!
Que treta de filme.

Mas dá-lhe umas palmadinhas nas costas que isso passa, e explica-lhe que a morte é certa, e o que vier a mais é bónus!