quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Voluntariado

Esta reportagem foi feita por dois colegas meus de apenas 19 anos. Está absolutamente genial. Claro que os meninos estão tramados comigo agora no trabalho, que vou passar a exigir muito mais deles. Recomendo a todos que vejam com atenção. Não só pelo trabalho em si, mas pelo voluntariado, que é um tema que me toca bastante. Já aqui mencionei várias vezes que não custa nada ajudar, e que o retorno é enorme. Claro que na minha vida (que às vezes penso que existe num universo paralelo, só pode) até o acto de ajudar tem as suas variantes mais cómicas e estranhas. Prova disso é o sem-abrigo que vive na rua perto da minha casa. Todos os Natais costumo ir lá levar-lhe um pouco da refeição da minha consoada e fico contente por perceber que não sou a única a fazê-lo. O Natal passado não foi a ocasião mais festiva de sempre, mas não me esqueci dele, e comprei um frango assado quentinho para lhe ir lá deixar. Chego lá, ofereço-lhe o frango, desejo-lhe um feliz Natal, e o homem olha para o saco com o ar mais entediado do mundo e diz-me todo chateado:

“Mas quanto frango é que vocês acham que eu consigo comer?!”

Pronto. Este ano a ver se me lembro de lhe levar antes lagosta...

26 comentários:

Rui Granja disse...

Tenho seguido o teu Blog Belota, como estudante de CC acho a reportagem genial mesmo!

Consegue chegar à consciência das pessoas, ainda por cima centrada neste projecto tão original do grupo de motards!

me i eu disse...

Belos colegas,
Belota dá-lhes os meus sinceros parabens e um beijinho... Merecem...

D. disse...

Excelente reportagem, excelente video!
Muitos parabéns aos autores e obrigada à Belota por divulgar!

Eu Mesma! disse...

Parabéns aos meninos pelo video...

quanto ao sem abrigo Belota... é que sem comentários... quanto mais damos mais nos criticam....

by_Pureness disse...

=) adorei mesmo, grande trabalho estão todos de parabéns*

Tia Maria disse...

Eu acho que os sem-abrigo preferiam deixar de ser sem-abrigo, penso eu de que. Mas nós portugueses, sempre gostámos de ter os nosso coitadinhos, faz parte.
Eu pessoalmente acho que se deve "acabar" com os sem-abrigo, sempre é mais humano do que mante-los nessa situacao e ficarmos com o ego em alta sempre que fazemos algo por eles.
Eu próprio me imaginei nessa situacao de sem-abrigo. Eu a trabalhar a recibos verdes e a ganhar uma miséria por mes e a esposa a dar 6h por semana de aulas a ganhar menos de 400€ por mes, e com uma renda de casa de 400€ fora o resto. Nao deu hipótese, antes emigra que sem-abrigo.
Rui e Susana, dois tuga de Almada e Cascais que emigraram antes de virarem sem-abrigo e agora moram em Wageningen, Holanda.

Cate disse...

Gostei da reportagem :) Beijinho!

Miss Hepburn disse...

fantástica e interessantíssima.

Marta disse...

A reportagem está sensacional,parabéns.
Felizmente o que o Ser Humano tem de mau, tem de bom também, e a solidariedade está presente entre nós sempre, basta ver a união e entre-ajuda quando alguma catástrofe acontece. Eu ajudo sempre e o voluntariado é importante, mas infelizmente há quem se aproveite dessa palavra para o mal. Porque pegou moda fazer voluntariado e fica bem e todos devem fazer,mtos licenciados no desemprego fazem voluntariado em empresas, instituições e autarquias, também para não entrarem em depressão. Isto não está certo, pois estas instituições aproveitam-se destas pessoas para não pagarem a empregados nem contratarem. Esta situação cresce a cada dia que passa.
Voluntariado sim, na medida da entreajuda, da solidariedade, de participar em actividades realizadas pela cruz vermelha, bombeiros voluntários, equipas de rua sim, ou até mesmo individualmente, eu mesma o faço, agora aproveitarem-se de pessoas competentes e darem-lhes um horário de trabalho em regime de voluntariado, isso não.
Achava importante que isto ficasse dito e que tentássemos travar de alguma forma esta situação.

Parabéns também pelo Blog :)

Cat disse...

Impossível não gostar de ti :-)

Gostei muito do pormenor "dois colegas meus" em vez de "dois dos meus estagiários".

Também ajudo algumas pessoas e o retorno é, de facto, grandioso.

Beijinho, Cat

Kika Canas da Lapa disse...

Belota, sou leitora assídua do teu blog e adoro-o.
Esta reportagem é fascinante. Parabéns para os colegas e a ti pela divulgação.


Deixei-te um prémio no non s'aguenta... o teu blog é uma lufada de ar fresco todos os dias ;)

pamat disse...

DE todos os posts este sem duvida está no top 5;)=)=) Parabens Belota!!
Os meus parabens também aos intrevinientes:).

Os sem abrigo é uma pecha nas sociedades ocidentais, mas quero referir que existe outra grande pecha na nossa sociedade, e que ninguem quer ouvir falar ou ver, que são os doentes de saude mental que geralmente ficam escondidos do publico em geral, e no concelho onde eu e a Belota vivemos temos um caso desses, e que se chama Pisão, que em tempos precisou e ainda precisa de roupa(não dinheiro). Quem quiser doar para lá roupa velha eles agradecem, mas é preciso grande coragem para lá se ir.

Grande problema em Portugal é o de ser voluntário em qualquer coisa, seja na saude, ambiente, etc... é algo que ainda não está enraizado em Portugal
(eu pretenço a uma associação ecológica)

Mais uma vez exelente post!!

Fada disse...

Nice post, Belota! :)

O vídeo está muito bom, mas os meninos podem corrigir o Inglês... Tem uns erritos ortográficos salpicados pelas legendas.
Mas têm muito mérito, o filme e eles, sim senhora!

Quanto ao frango vs. lagosta... No comments... :p

Há anos, tive um sem-abrigo no meu alpendre, junto à porta. Chamei a polícia. Não que me estivesse a "incomodar", mas porque sabia que o levariam a dormir na esquadra e a noite estava muito fria.

Dias depois, tornei a vê-lo, a apanhar beatas do chão para tirar os restos de tabaco. Aquele senhor já estivera num lar, e fugia sempre.
Há sem-abrigos que o são por opção. Nós podemos não entender a escolha e a maneira de viver, mas essa é a verdade. São-no "por opção".


Anos antes, deparei-me com um miúdo, duns 7 anitos, a tocar acordeon, com um cachorrito ao lado, e ambos tinham o ar mais infeliz do mundo. Partiu-se-me o coração. Mas tento não dar dinheiro, pois sei que os pais é que ficam com o dinheiro e os miúdos não ganham nada com isso, exceptuando maus tratos.
Então, comprei uma sandocha enorme, um bolo e um sumo, e fui ter com ele. Disse-lhe apenas: "toma, é para ti", perante o olhar surpreendido do garoto.
Afastei-me e escondi-me a ver se o miúdo comia.
Surgiu outro garoto, de uns 13 anos, junto dele; era o irmão que o "guardava". Dividiram a sandes entre o mais velho e o cão, o pequeno ficou com o bolo e o sumo dividiram a meias.

Não gosto de dar dinheiro a quem vejo que pede por hábito e por preguiça.
Já basta sustentar a nossa classe política...........

Beijitos

Ana disse...

Fazer voluntariado é uma experiência diferente, gratificante e difícil. Ja fui algumas vezes distribuir os sacos do Banco Alimentar para a porta do Continente do Norteshopping. Já me deparei com situações tão inesperadas... Como pessoas que nos entregavam carrinhos cheios! E outras como ouvir respostas e palavrões ou a indeferença...
Mas eu compreendo quem não queira ajudar. Algumas pessoas diziam-me quem nem para elas tinham...

Quanto à reportagem está muito boa, parabéns.

Belota disse...

Fada, também já dei comida muitas vezes, pela mesma razão!! :) E no caso deste sem-abrigo de que falei aqui, ele também não quer ir para lado nenhum! Diz que a casa dele é a rua e não quer sair dali...

Pamat,
curioso mencionares o Pisão! Eu fiz parte da divulgação de uma campanha para dar roupa para o Pisão e eles pediram-nos para pararmos porque já tinham o suficiente. Não queriam mais...(?!?!?!)

pamat disse...

Deves ter razão:), eu mencionei que deviam precisar de roupa pois a minha mãe ouviu na televisão(não me perguntes onde);).

Belota disse...

Ah! Eu ajudei a divulgar isso!! :)

Ana Torres disse...

A reportagem está muito boa, de facto. É pena os erros ortográficos nas legendas -- o excelente trabalho merece que o Inglês seja revisto.

Beijinho e um sorriso interior,
Ana

PlanetaM (Marlene) disse...

Solidariedade...Infelizmente, um termo que cada vez menos se enquadra com este "Mundo Individualista" em que vivemos actualmente.

Sejam solidários...A nossa geração pode e deve marcar a diferença!
Não é preciso pertencer aquela "Associação X ou Y" para ser solidário...No nosso dia-a-dia podemos, em pequenos mas valiosos actos, oferecer algo ao proximo...A falta de tempo não é desculpa...Em poucos minutos podemos, por ex., ajudar a nossa vizinha lá do prédio, idosa e com dificuldade na deambulação, levando as suas compras até casa...Um simples acto cheio de grandiosidade!

Belota continua a presentear-nos com estes post's excelentes.

Cumprimentos cordiais,
da blogista PlanetaM

Rogério Esteves disse...

Olá a todos.

Eu sou um dos responsáveis por esta reportagem. Desde já quero agradecer imenso a Belota por divulgar o meu trabalho e agradeço imenso as coisas que li nos comentários. Sabe muito bem ver que as pessoas gostam do nosso trabalho, e uma maneira de nos incentivar a continuar e a melhorar. Desde já peço muitas desculpas pelas legendas pois o nível do meu inglês e do meu colega e razoável e como foi a primeira vez que fizemos legendas, tornou-se uma situação um pouco complicada. Tentamos fazer o nosso melhor sendo que tivemos alguns problemas durante todo o trabalho e apesar de acharmos que podíamos melhorar imenso, eu e o meu colega sentimo-nos feliz por termos conseguido fazer este trabalho.
Nunca pensei que este tema tocasse tanto como me tocou, foi um grande choque a primeira vez que fui para a rua, na primeira noite quando cheguei a casa fiquei a noite toda a pensar em todas as pessoas que vi e no que elas vivem todos os dias.
Infelizmente também fiquei muito triste por atitudes que algumas pessoas tem, pois havia muitas pessoas que chegavam ao pé de nos, todas bem vestidas e arranjadas e diziam que não tinham jantado aquela noite para não gastar dinheiro e vinham comer uma sopa, ou então pessoa que pediam roupa e estavam a ver as marcas pois so queria roupa de marca, senti-me um pouco revoltado com isso. Enfim....
Quanto ao Pisão, este grupo de motard quando tem roupas que vem que não são as mais adequadas para dar aos sem abrigo pois nao sao quentes ou sao pequenas o que eles fazem e dar essas roupas ao Pisão.
Mais uma vez muito obrigado por tudo e se precisarem de alguma coisa :) Eu estou disponível

Obrigado Belota, por TUDO!! E continua com o teu blog :) pois é uma boa guia para mim :P

Patanisca disse...

Desta não estava à espera, mas gostei! Pois gostei! =)

Infelizmente não é a àrea a que me tenho dedicado mais, mas sempre que posso, lá faço a minha contribuíçãozinha. Muito mais "inha" do que eu gostava, que com o meu orçamento realmente não dá para mais. Faz-se o que se pode...! Por isso é que na maioria das vezes estou na organização, em vez de estar na contribuição XD

Belota disse...

Olha o meu colega tão lindo! Não agradeças, o trabalho estava mesmo bom e merecia ser divulgado, quanto ao resto, é para isso que estão cá os amigos ;)

Miss Complicações disse...

Muitto bomm...
Parabéns. A primeira parte seria fantástica para uma campanha de uma ONG como a Cruz Vermeha ou a Amnistia Internacional. Sendo uma reportagem tambvém está muito boa.

(",) disse...

Olá!
Concordo plenamente com tudo o que dizes, a respeito deste trabalho e ao tema abordado! Pois emociona qualquer um.

E quero também agradecer imenso pela parte que me toca, pois se esta reportagem tem um resultado tão genial assim foi graças a mim que a Editei :) Muito obrigada!

Beijinho.

Teresa Ruas Pimentel
(Editora de Imagem)

Belota disse...

Teresa,

não podias estar mais de parabéns! O trabalho está fantástico, como podes ver pelos comentários de toda a gente!! Continua!!!

Beijinho grande,

B.

(",) disse...

Vi pois, e gostei muito de tudo o que li. É Bom saber que o nosso trabalho é adorado por imensas pessoas :)

Obrigada mais uma vez.


Teresa Ruas Pimentel
(Editora de Imagem)