terça-feira, 25 de agosto de 2009

Final de relações

Diz esta música dos James e muito bem, “ you dont know what you’ve got until you’ve lost it all”, que para mim é aquilo que mais caracteriza um homem no final de uma relação. É preciso discutirmos, refilarmos, e acabarmos, para depois de duas semanitas sozinhos perceberem o valor que afinal nós até tínhamos. Aqui, e mais uma vez, acho que somos completamente distintos. Um homem só se apercebe do valor da mulher que tinha depois de a perder. As mulheres quando os perdem choram não o homem em si, mas o projecto daquilo que ele podia ter sido. Não nos custa tanto perdê-los quanto nos custa abandonar a ideia daquilo que achávamos que ele viria a ser. Hum, não é bem a mesma coisa...

65 comentários:

Ladybird. disse...

Estou plenamente de acordo :)

Ultima Thule disse...

Isso é só o mecanismo que o cérebro arranja. É a atitude de pânico do pós-fim-de-namoro. É uma re-avaliação natural sobre as nossas decisões.

O segredo é em não pensar muito no assunto. Se acabou houve uma razão, focar nisso.

Aprender com os erros e aceitar o presente.

Miss Complicações disse...

São homens Belota, são homens...
Custam a compreender, a percepcionar e a ver o obvio . São verdadeiros cães de Pavlov. Funcionam por instintos.
Mas uma coisa eu tenho a certeza. Um desgosto de amor num homem, daqueles MESMO GRANDES, provoca feridas bem mais profundas que numa mulher. A mulher chora baba e ranho expõe a sua tristeza, coloca a nu a sua desilusão. O homem é mais contido, mas é mais sofrido. Já vi um a bater com a "cabeça nas paredes". Aquilo sim, foi sofrimento.
Eles hão-de evoluir. Eles chegam lá...Vamos acreditar na teoria da evolução :)

Beijinhos

Brokenheartedgirl disse...

Eu concordo. Nós mulheres quando saímos de uma relação, choramos baba e ranho não pelo homem em si, mas como o homem podia ter sido para nós. No caso dos homens, bem, há aqueles que nunca chegam a ver o que está para além do óbvio. Mas eles um dia chegam lá, eu sei.

beijinhos

Tilt disse...

Um bocado tendencioso esse post...como se as mulheres tivessem uma intenção de projecto com o namoro... ou seja apaixonam-se por um homem, mas o objectivo é fazer dele uma "coisa" desenhada e pensada. Ou seja apaixonam-se não pelo homem que têm à sua frente, mas sim pelo o que ele tem o potencial de ser?

lol, que parvoice! se assim é por favor digam isso ao rapazinho com que acabaram ele vai deixar de pensar em vocês num instante!
Ou então digam logo no inicio que querem fazer dele outra pessoa. Assim poupam o trabalho de sequer iniciar uma relação.

Quem acaba uma relação ainda a pensar no outro é parvo/a. Acaba-se prontos.

Neeeext

Francisco del Mundo disse...

Desta vez é a minha vez de dizer que não concordo nada!! Quantas vezes não me chamaram principe? Quantas vezes não perceberam isso depois? Quantas vezes não me disseram que a mulher que conseguir ter-me será feliz? Não, Belota, o problema é que vocês escolhem os avariados porque os certos são demasiado certos. E isso de chorar pelo fim de uma relação, ja vi dos dois lados!
E eu prefiro não esquecer uma mulher do que ter pena de um projecto.
Sabes que te adoro, mas se não forem mulheres inteligentes como tu a mudar certas coisas, cada vez menos teremos relações felizes!
Beijo miuda

Francisco del Mundo disse...

Porra, miuda, eu sei que tu gostas de picar os homens, mas este deixou-me fulo!!

Eu Mesma! disse...

Por acaso Belota...
acertaste mesmo no botão...

é que ... não choramos por eles... mas sim pelo que eles representam no nosso imaginário...

eu cá...
optei há uns 4 anos por... nunca mais chorar por nenhum homem... nem projecto nem nada relacionado...

acaba?
acabou... passa a frente...

pois...
é por estas e por outras que agora estou demasiado fria...

pamat disse...

"As mulheres quando os perdem choram não o homem em si, mas o projecto daquilo podia ter sido." ?!?!?

Então a mulher não quer um homem ao seu lado para se evidenciar às amigas que estão sós?:)

Projecto é o troféu de caça que têm?:)

Se em nós a tal mulher for a tal, ai toca lá bem fundo, senão ehehehe foi outra igual a tantas outras.
Enquanto que vocês podem ficar encalhadas para sempre(algumas);):).

Assunto que tem muito de se discutir;).

Eu Mesma! disse...

Sabes pamat....
encalhada não é mau... aliás... quem fica encalhada são as casadas...

as solteiras desimpedidas de encalhadas não têm nada...

e eu cada vez mais digo que.. relações dão demasiado trabalho...

:)

pamat disse...

Eu Mesma, o grande objectivo de qualquer mulher é o de ter filhos e os homens estão em um lugar muito longe nisso tudo, mas filhos é algo que está muito no vosso subconsciente, e quando digo encalhadas é sem filhos, e por sua vez sem homem(secundário), e como ainda és nova;) ainda não é complicado, mas deixa chegares aos 40´s e depois diz qualquer coisa sobre...
Tornam-se um bicho insuportavel chato, e entaladas na parteleira, e sem amigas para sair(pois estão todas casadas e com filhos para depois sair à noite(generalidade) estou a ser muito duro mas é o que constato, e de experiencia de vida;):).


ps: é logico que há mulheres que não querem filhos mas são muito em minoria.

Eu Mesma! disse...

o grande objectivo de qualquer mulher é o de ter filhos ????

Pamat....
esse era o objectivo das nossas mães... peço desculpa mas o grande objectivo da minha vida não é de certeza ter filhos... pode ser uma consequência da minah vida mas sem sombra de duvida não é o meu grande objectivo...

mesmo ainda...
que fosse... já lá vai o tempo em que a presença de um homem era mandatória para se ter um filho....

de qualquer forma... confesso que não verifico o mesmo que tu.. apesar de ser nova tenho imensas amigas com filhos que sim... saem á noite e saem de dia com as amigas e com os filhos também. Passamos na mesma imenso tempo juntas...

acho que....
é uma questão de perspectiva de vida das mesmas "mães"... como existem mães cujo o unico objectivo de vida não é serem mães... essas mantêm-se efectivamente uma vida na mesma activa, apenas com alguns constrangimentos...

Penso que a tua realidade e a minha sejam efectivamente diferentes....

Eu Mesma! disse...

mas sim...
taçvez nós sejamos a minoria mas...

a minoria cada vez se está a tornar uma maioria...

;)

Abobrinha disse...

Belota

Não concordo contigo de todo. A questão do "projecto do que ele poderia ter sido" é uma frase estranha. Creio que estás a falar de um futuro de uma relação e não de transformar um homem em algo que planeamos. Mas as coisas ou são ou não são, não se mudam. Dito isto, já chorei por relações que a meu ver tinham futuro excepto por um pormenor ou outro. Como o facto de o outro não querer ou de ser um fdp inqualificável.

Quanto a valorizar a relação, depende de quem acaba, não? E pode acabar-se uma relação consensualmente.

Chorar? Tento fazê-lo cada vez menos. As relações valem a pena, vale a pena o esforço, mas tem que vir de ambas as partes. E cada vez mais há gente que não está para isso... o que é pena: as pessoas não são geralmente feitas para estar sozinhas.

Toto em tratamento disse...

No meio disto tudo concordo com o Tilt e com o Francisco.

Cumps

Abobrinha disse...

Pamat

Eu quero ter filhos. Posso não vir a tê-los (o meu relógio, como o de toda a gente, não anda para trás), mas quero.

Dito isso, uma mulher sozinha e uma mulher sem filhos (sozinha ou não) não estão limitadas. Triste seria, porque neste caso um filho não seria um projecto de vida mas um passatempo. Ora para passatempos eu tenho crochet, origami, leitura e muitas mais actividades muito mais engraçadas e que posso deixar de lado quando quero dormir. Tantas actividades que nem consigo enumerar (sendo que dormir é uma delas).

Um filho é também uma responsabilidade muito grande e um compromisso muito além de uma relaçãozeca de um tal de amor: é mais visceral e é para a vida. Não há direito a divórcio sequer!

Quanto a sair à noite, eu saio sozinha muitas vezes. Sei que tenho uma liberdade que uma mulher com um filho e/ou um marido não tem e tenho muito onde "gastar" essa liberdade.

Não "preciso" de um filho: quero-o. Mas só o concretizarei se fizer sentido na minha vida. E se o meu corpo o permitir.

Toto em tratamento disse...

e com a Abobrinha

Anónimo disse...

Os comentários do pamat são uma tristeza. Espero nunca me cruzar com um tipo assim.
Mariana

Yoga Girl disse...

Concordo!

pamat disse...

Bem como estou a ser atacado por todo o lado, e há pessoas que nunca se querem cruzar comigo tudo bem;):).

Trabalhei num sitio onde me cruzava com muitas pessoas e convivia e desabafavam, por seu lado tenho 3 pessoas com mais de 40 anos que estão sozinhas e na fossa dizem que não mas...
Eu mesma eu não disse que era um projecto, é uma ambição de qualquer mulher e é biológico; e sacrificar a vida(profissional) por não ter filhos não acho logico, é o meu ver das coisas, e tal como já vi em algumas mulheres fazer!!
Quem de vòs não quer ver isso está-se a iludir, ou porque são muito novas!

Dr Phil disse...

...ahhhh, então por isso é que eu vejo tanta mulher bonita com cada borrego que mete dó! é um projecto, pelos vistos há mulheres mto ambiciosas que querem um projecto de maior dificuldade...é que, qdo vejo um casal desses, procuro sempre ver se a mulher tem uma bengala e oculos escuros...

Eu Mesma! disse...

Pois Pamat....
talvez ter 33 anos é considerado muito criancinha acredito mas...

nunca irei sacrificar a minha vida profissional em prol de um filho....

nunca seria uma boa mãe...
se algum dia for mãe, será apenas e unicamente num momento da minha vida em que possa compatibilizar o ser profissional, o ser mulher e o ser mãe...

mas sim...
ainda sou uma criança....

pamat disse...

Pronto parece que estamos entendidos, compreendo o sentido e é sem reticencias.
Como ao nivel da ciencia se pode ser mãe até aos 45 anos tudo bem;).
Estou neste ponto a ser muito racional, demasiado até.

Abobrinha disse...

Pamat

Um dos motivos pelos quais as mulheres são mais maturas é precisamente a maternidade: temos que tomar decisões em tempo útil. Como a de ser mãe (porque o tempo não volta para trás). Os homens têm uma janela temporal mais alargada. Mas não é tão alargada como pensam! Ou até é, mas ter um primeiro filho aos 50... também não é assim lá muito católico, pois não?

Deixa-me fazer um bocadinho de psicanálise: não estarás a projectar o teu próprio desejo de ser pai aqui no gajedo? Repara que estou a falar com menos elementos do que os que tens a nosso respeito. E estou claramente a atirar postas de pescada.

Agora uma coisa é certa (embora o destinatário nem fosse eu, aparentemente): não podes julgar a maturidade de ninguém pela idade. Especialmente uma mulher. E uma decisão acerca da maternidade e da carreira é uma coisa muito pensada e muito matura. Não é preciso esperar pelos 45 anos ou pelo fim definitivo da fertilidade para a tomar.

Em relação aos solitários de que falas, ter uma relação amorosa ou um filho para preencher esse vazio até pode funcionar bem. Ou então dar uma relação infeliz (as encalhadas num casamento de que falou e bem a Eu Mesma) ou um filho disfuncional com uma mãe e/ou pai frustrados porque não era "aquilo" que ia preencher o vazio que sempre tiveram. E o vazio continuará lá. Com a agravante de, entre fraldas, família que se odeia mas precisa para tomar conta do puto, reuniões na escola e pediatra, nem se ter tempo para pensar de onde vinha o vazio. E de não ver que ele vinha de dentro mesmo...

Abobrinha disse...

(bolas, que testamento!)

Eu Mesma! disse...

bota testamento nisso :)

Sam disse...

Mais uma vez repito, será este blog o "guia para mulheres tótos"?

essa do projecto, deixa-me a rebolar a rir. continuem a pensar em projectos, e continuem a ficar sozinhas.
cada um é o q é. as coisas n mudam.

Abobrinha disse...

Sam

AS mulheres são totós por natureza por ainda acreditarem nos homens. Mas isso cura-se...

Lion disse...

Eu até vinha aqui comentar essa do projecto, mas já todos o fizeram...
Portanto, eu entro só para a estatistica dos que dizem que "Continuem a pensar em projectos e depois queixem-se".

Cheers!

Poetic GIRL - BELA disse...

Mas isso é mais frequente do que se pensa, só nos darmos conta do que uma pessoa significa para nós depois de a perdermos. Mas acho que não é uma caracteristica apenas dos homens, mas sim do ser humano em geral. beijinhos

Patrícia disse...

Não mesmo a mesma coisa. Acho que é apenas uma diferença no período de luto. Nós, quando a relação acaba já começámos a fazer o luto, pq já nos tinhamos apercebido que ia acabar. Eles começam o luto 2 semanas depois de acabar tudo. Lentos!

Abobrinha disse...

Também tenho outra acha para a fogueira: para muitos homens há um período de luta de... 1 mês! É o tempo entre o "ah, eu gosto mesmo de ti" e arranjar outra.

Dito isto, alguns têm um período de luto de -1 mês: arranjam uma à consignação (ainda enquanto andam com a primeira) e só depois do período de reflexão é que trocam definitivamente pelo modelo novo (mas nem sempre melhor).

Dito isto, há mulheres que fazem o mesmo. Há gente que não consegue andar simplesmente "desempregada".

Larose disse...

isso faz-me lembrar algo ......... a história do principe encantado no seu cvalo ....é esta a ideia que nos metem na infância!

Belota disse...

Bem, tanta coisa que vai para aqui que eu não consegui ler ainda, mas era só para explicar essa do projecto: as mulheres vêem as coisas mais a longo prazo, está-nos nos genes, é por isso que temos instinto maternal, que educamos crianças e que tomamos conta de uma família. Porque vemos as coisas à frente. Um homem para nós nunca é só um projecto, mas chegue-se à frente a primeira mulher que nunca tenha tido uma relação sem idealizar como a mesma será dentro de alguns anos... É essa ideia que nos custa rejeitar. Porque nos esforçamos para ela e sentimos que não fomos recompensadas.

Belota disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Belota disse...

No post, onde escrevi "custa abandonar a ideia daquilo que achávamos que ele viria a ser", ler "aquilo que achávamos que a RELAÇÃO viria a ser". Eu ainda tentei alterar mas como foi escrito on youtube já não deu. Vocês percebem.

Wolve disse...

ah. Mudar a relação, tudo bem, mudar o rapaz... esquece lá isso. Ninguém muda ninguem, e quem ainda acredita que sim que se prepare, porque essa é daquelas lições que doem a aprender.

De certa maneira entristece-me este post: dá a - ligeirinha - sensação de que nunca uma mulher se apaixona por ninguém, mas antes por uma miragem.

E em relação aos finais, as pessoas (sim, as mulheres também) sofrem porque têm a memória curta. como disse o Ultima Thule, se acabou, teve uma razão para acabar. Só que o que deixa saudade são as coisas boas, são essas que depois roem por dentro.

bjnhos

Wolve disse...

PS - @ fransisco: tem toda a razão.

Nuno, apenas Nuno. disse...

Eu cá não concordo nada com este post... Mas enfim. Isso já vai de pessoa para pessoa. Há homens e homens e há mulheres e mulheres.
Parece que sou um igual ao Francisco ali em cima. E concordo plenamente com ele.

pamat disse...

Pronto o que a Belota escreveu às 12.18 está correcto;).
Eu sei porque tive alguem da minha familia que assim pensou e... acabou por arranjar alguem melhor...
Vê se me entendem de uma vez por todas!!
Não desperdicem a vida na carreira, pois quando dão por vós será já tarde, é a ai a minha mensagem nos posts que coloquei!
Eu não julguei pela maturidade Arbobrinha:).

Anónimo disse...

Genial não é Shakespeare escrever dezassete peças intemporais, genial não é Van Goh pintar os girassóis, genial não é a música que Bach compôs; genial é um homem conseguir compreender a mulher.

Anónimo disse...

alias, Oscar Wilde dizia que as mulheres se apaixonavam pelo defeitos de um homem...

Anónimo disse...

pamat és um totó

Órfão T. disse...

Completamente verdade! Só me apetece dizer "quanto mais conheço os homens mais gosto do meu cão!".

Abobrinha disse...

Pamat

Se não julgaste em função da maturidade (foi o que me pareceu), pareces estar a tentar impor o teu ponto de vista como o certo. Ora o teu ponto de vista não é o ponto de vista de toda a gente.

Há mulheres e mesmo casais que não querem filhos nem pintados de azul. Isso não é certo nem errado: é assim. Aceita-se. Não se julga e não se tenta mudar.

Lila* disse...

é verdade!Fiquei agora a pensar se terminasse a mh relaçao e apesar d adorar o meu namorado, seria mt + complicado superar tds as ilusoes q fui criando!

mas se n gostasse + dele...la teria q ser:)

Abigail disse...

Não podia estar mais de acordo!

Rostro disse...

Belota, não é um senhor que está a cantar? ;)

Belota disse...

Sim, é um senhor que está a expressar o seu ponto de vista masculino de só se aperceber do que tinha depois de o ter perdido. Tal como eu disse no post. Bem, depois desta confusão toda do Pamat (que nem vou comentar, fiquei foi com pena das amigas dele que o fazem pensar assim, sinceramente) lá vem outro post...

E Francisco, quantas vezes não te chamaram príncipe? E quantas vezes não te disseram que quem te tiver será feliz? Então e não estás com essas pessoas porquê? Dizer coisas é muito fácil. Acho que não percebeste a ideia desta post. Eu conheço-te e posso dizer que quem te tiver será com certeza feliz. Mas isso não quer dizer que a pessoa em questão não imagine como tu serás dentro de um tempinho e não goste também muito dessa ideia...

katy disse...

Concordo!!! A 100%! Caraças, pareço eu a falar =)

Anónimo disse...

"doidas doidas doidas são as galinhas...."

Squeeze disse...

Bom nada tenho a dizer sobre o tema, mas tenho uma pergunta que se impõe, dado o sub tema introduzido pelo Pamat: com todo o respeito que me mereces, em que seculo vives?
Há muitos e bons anos que a vida das mulheres deixou de se limitar à familia, ao marido, à casa...aquelas que eram a excepção, mulheres de carreira, são hoje a regra. A validação da vida de uma mulher já não passa pelos filhos e por manter o casamento a vida toda ( é certo que requer mestria e grande sacrificio )...hoje existem como individuos com um lugar na sociedade que não seja o de garantir a continuidade da espécie.
A pressão da sociedade continua a ser muito grande ( eu sei, porque já passei por isso ), há mulheres que têm filhos, porque tem de ser, embora não exista nelas o grande desejo....
Falo por mim e por mais pessoas que conheço, casais, o meu namorado: gostamos muito de crianças, mas dos outros....já perdi a esperança de ouvir o meu relógio biológico....acho que o gajo parou...

pamat disse...

Vivo no seculo xxl e é assim tão transcendente eu falar em vocês mulheres terem filhos, mesmo sendo mulheres de carreira, lindo pensamento esse(podem-me atacar como quiserem) mas engraçado é que pela maneira de falar a taxa de natalidade está onde está, e a vida é feita de sacrificios!
Abobrinha eu escrevi antes que é de um modo geral, e não estou a impor o meu ponto de vista a ninguem; toda a pessoa é dona do seu corpo e do seu pensamento, e eu referi que podem no futuro se arrepender:) da posição que tomam.


ps: não me falem da dificuldade que é ter filhos, com o tempo, pois classes mais baixas e médias conseguem ter.

Squeeze disse...

Não está em causa a dificuldade ou não....não é por aí....está em causa a vontade ou não...e ter de obrigatoriamente fazer disso um projecto de vida...

Quantos filhos tens pamat?

pamat disse...

Boa pergunta:);). que nãp posso responder:).

Squeeze disse...

espero que tenhas feito muitas mulheres felizes...:)

Não me digas que ainda não deste o teu contributo.....

pamat disse...

Boa tentativa ehehehe;):).
Vamos mais uma tentativa de saber:P;)

Squeeze disse...

respondes se quiseres...senão fico cá com a minha ideia...hehehehe

Anónimo disse...

Pamat e squeezze guet a room =D

Squeeze disse...

Já não se pode ter uma conversinha inofensiva....safa.....começam logo as mas linguas....

pamat disse...

LOLOLOLL!!!
Esta é a principal razão porque venho a este blog, que é para rir-me;);)!

Vera - Gata Preta disse...

"As mulheres quando os perdem choram não o homem em si, mas o projecto daquilo que ele podia ter sido. Não nos custa tanto perdê-los quanto nos custa abandonar a ideia daquilo que achávamos que ele viria a ser."

Bem!!! aqui está algo inesperado e totalmente verdadeiro!!!
Bem, acho que vou adicionar este blog a link dos que já tenho...
Blog com pinta... tinha de ser coisa de gaja...ehehehe ;)

Fada disse...

Concordo contigo a 100%!!!

Creio que o que me custou mais no meu divórcio foi assumir todo o fim de um projecto de vida (não exactamente o projecto "dele"), que tinha sonhado com ele.

Mas já passou! :D
E hoje somos bons amigos. :)
Mas continuo a dizer que não o quero para marido de novo... ehehe


Beijitos :)

Luz Branca disse...

é assim, eu não concordo a 100%...
sei que sou a primeira pessoa a admitir não compreender muito bem como pensam os homens (alguém quer criar um blog sobre isso? lol), mas sei por experiência que não são assim tão insensíveis.
O que eu acho é que eles têm um bocado de dificuldade em encontrar alguém verdadeiramente especial e, como são por essência seres muito experimentalistas, vão lá por tentativa erro! :P
claro que o erro paga-se caro, quanto mais não seja deixar ma mulher a sofrer.
Mas como já disse, não compreendo muito bem o comportamento dos homens e não sei se estão muito importados com isso...
Como mulher, não choro pelo fracasso de um projecto (e eu estudo Arte! sei o que é um Projecto e já senti a VERDADEIRA frustração de um projecto furado!!) e, como "artista" que sou, dou muita importância ao sentimento, ao impacto e à empatia que se cria entre 2 seres (neste caso homem e mulher). Numa boa relação há muitas memórias que ficam e, no fim da relação, o que eu penso é: que pena que não possa continuar, que pena não poder viver-lo mais tempo, que pena ele não me dar mais memórias inesperadas.
Foi bom enquanto durou. Tão bom que é pena acabar.
É assim que eu penso. Mas, também, e como já se disse por aí, se acabou era oprque alguma coisa estava mal.

Bj

Luz Branca disse...

desculpa lá o testamento, mas é para o que dá quando me ponho a ler destas coisas...
looooooool

beijinhos e visita também o meu:

http://luzbranca.blogs.spao.pt

bj
LB