quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Somos ou não somos boas namoradas?

Hoje no trabalho chegou-me às mãos um folheto com um questionário sobre a violência no namoro. Originalmente foi pensado para a pessoa descobrir se foi, ou é vítima de violência, mas eu achei as coisas mais interessantes quando comecei a ver tudo de outra forma, mais concretamente, a aplicar o questionário do ponto de vista feminino e do agressor. Dizem os senhores do questionário que 4 ou mais respostas afirmativas mostram que há por ali um problema. Ora com as devidas alterações, o questionário fica qualquer coisa como isto:

Nós mulheres...

...perdemos facilmente o controlo quando estamos ciumentas?
Não. Fazemos uma tempestade gigante, gritamos, barafustamos, e acabamos com eles durante 2 dias, mas isso não conta...

... queremos escolher os amigos dele e/ou não o deixamos ter amigos?
Claro que não! Com excepção dos amigos parvos com quem ele só faz coisas parvas e da colega do trabalho que é aí umas 20 vezes mais gira que nós.

... controlamos os seus movimentos e queremos saber sempre onde e com quem ele está?
Hum... a perseguição do telemóvel com os “onde estás”, “o que é que fizeste hoje” e “quem é que estava lá”, contam?

... fazêmo-los sentirem-se inseguros ou com receio de dar a própria opinião?
Não. A não ser que queiram falar sobre outras mulheres, roupa, o nosso peso, os nossos gostos musicais ou cinematográficos, a qualidade da nossa condução, e como a mãezinha deles é muito melhor do que nós.

... ignoramos as necessidades deles e os seus desejos?
Estamos a falar de sexo, não é? Só podemos estar a falar de sexo. E de futebol. É isso não é?

... tornamos-nos violentas sem motivo aparente para tal?
Não é sem motivo aparente para tal, o motivo existe e é muito válido, nós é que no momento não sabemos muito bem qual é de tão entretidas que estamos a expressar a nossa raiva.

... quando ficamos zangadas atiramos e partimos objectos ou batemos nas paredes?
Bater nas paredes não para não estragar as unhas. Mas o ocasional telemóvel contra o chão (o dele, claro) ainda pode ser. O comando da playstation às vezes também podia passear pelo ar alguns metros.

... quando ficamos zangadas gritamos, empurramos, puxamos o cabelo e batemos?
Nós tentamos empurrar, também há quem bata mas é assim como quem não quer a coisa. Puxar o cabelo só mesmo em situações mais interessantes mas aí convém as posições inverterem-se. Quanto a gritar, não comento. GRITAR??? NÓS????? A SÉRIO????

... tornamo-nos agressivas quando não queremos fazer o que ele quer ou quando discordamos com ele?
Agora fiquei confusa. Como assim quando não estamos de acordo? Isso é uma questão de segundos! Ele acha que quer alguma coisa que nós não queremos, mas está enganado. Ele quer. Só que ainda não o sabe. (e nós vamos usar da nossa passivo-agressividade para ele o perceber, que é como quem diz, vamos ficar com a birra e ignorá-lo até ele nos fazer a vontade e dar razão)

... humilhamos, insultamos ou ridicularizamos?
Não! Coitados! A não ser que se estejam a babar com a tal colega boa do trabalho, a contar como a mãe, quando era nova, era a mulher mais gira que eles alguma vez viram, ou a comentarem como têm uma pilinha maior que a média dos outros homens.

... obrigamo-los a terem relações ou a praticarem actos sexuais contra a sua vontade?
Às vezes, mas faz parte da brincadeira. :)

... culpamo-los frequentemente pelas situações de violência?
Não. Não é só pelas situações de violência. Todas as outras situações más também. A culpa é sempre deles. Mas isso não é óbvio numa relação? :)


Notem como 4 respostas afirmativas significam que há um problema mas eu consegui responder negativamente a quase tudo. É tão fácil ser mulher nestas coisas. Damos a volta a tudo!

28 comentários:

Tilt disse...

Pois...

pois.....

pois.......

e depois ainda se admiram...

depois venham pedir mimos venham!

Ana Morais disse...

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

Ataque de risoooooo :D

Eles até se podem queixar, mas se não fossemos assim eles nem gostavam de nós! Cada uma é mais que outra num ou outro aspecto aqui mencionado, mas a verdade é que eles até gostam senão morriam de tédio! LOL

Le Enfant Terrible disse...

Vocês mulheres são terríveis!;)

Miss Complicações disse...

HAHAHAHA... Boa, boa...

Nós, mulheres, somos mas é muito meiguinhas... Ai isso é que somos!!!

Anónimo disse...

Realmente voçes sao uma especie complicadissima.Ira...Mas tal como já foi referido por aqui, a gente gosta de voçes dessa forma...

Beijos

BA

Pintora disse...

Aaaaaaaaah adorei... muito bem visto isso de ver as coisas pelo outro prisma... quando sao eles a fazer, são violentos.. quando somos nós... bem, limitamo-nos a ser nós e mais nada! :)

Narcolepsia disse...

eheh Demais! "Quanto mais te bato, mais gostas de mim" Até os deixamos arcar com as culpas se algo corre mal, somos muito atenciosas :P

Peter Mary disse...

:P
Acabei de descobrir que sou vitima de violencia.. que cena

Ruben Alves disse...

Com tantas "poucas" coisas, ainda tem a lata de queixarem que há cada vez mais homosexuais :P

De qualquer forma, se todas as gajas forem "apenas" assim, não me importo de levar uma destas para o resto da vida :P

Garrafa na Praia disse...

Nós somos assim, mas também ninguém os obriga a nada não é?! Com as devidas excepções claro, mas essas não contam...

Garrafa na Praia disse...

Nós somos assim, mas também ninguém os obriga a nada não é?! Com as devidas excepções claro, mas essas não contam...

Garrafa na Praia disse...

Nós somos assim, mas também ninguém os obriga a nada não é?! Com as devidas excepções claro, mas essas não contam...

Garrafa na Praia disse...

Nós somos assim, mas também ninguém os obriga a nada não é?! Com as devidas excepções claro, mas essas não contam...

Mokas disse...

AHAHAHAHAHAHAH
demais...
mas agora se compreende porque é que o numero de gays está a incrementar... e normalmente são gajos giros e inteligentes! Mesmo inteligentes! Inteligentes o suficiente para dizer
"hey! pera aí... aí sim? então esquece lá isso."

Fada disse...

Lol

Bem respondido!!! ;)

Beijitos

S* disse...

Ai que parvoice... se isso é violencia, vou ali e já volto. Isso é uma gaja a impor a SUA verdade.

Ana disse...

Brilhante:)

Juky disse...

Eu tb já respondi a esse questionário!

MRP disse...

Nós homens...

...perdemos facilmente o controlo quando estamos ciumentos?
Os homens não têm ciúmes e nunca perdem o controlo. Isso é sempre a mania delas para exagerar

... queremos escolher as amigas dela e/ou não a deixamos ter amigas?
Obviamente. Há padrões de qualidade que se impõem.

... controlamos os seus movimentos e queremos saber sempre onde e com quem ela está?
Desde que estejam sempre contactáveis para nos trazer a cerveja quando nós precisarmos podem ir onde quiserem

... fazêmo-las sentirem-se inseguras ou com receio de dar a própria opinião?
Opinião?!

... ignoramos as necessidades delas e os seus desejos?
Não senhora, nós respeitamos sempre as necessidades e os desejos delas, desde que sejam condizentes com os nossos

... tornamos-nos violentos sem motivo aparente para tal?
Isso do motivo aparente é sempre muito relativo

... quando ficamos zangados atiramos e partimos objectos ou batemos nas paredes?
É sempre uma excelente ocasião para nos livrarmos daqueles mamarrachos com que elas enchem a casa

... quando ficamos zangados gritamos, empurramos, puxamos o cabelo e batemos?
Gritar, empurrar e puxar o cabelo é coisa de panilas. Agora que uma boa lambada pode fazer milagres, isso pode

... tornamo-nos agressivos quando não queremos fazer o que ela quer ou quando discordamos com ela?
Não é agressividade, é só uma forma de lhe mostrar que ela não está a ver bem as coisas

... humilhamos, insultamos ou ridicularizamos?
Nós chamamos a isso pô-las no seu lugar

... obrigamo-las a terem relações ou a praticarem actos sexuais contra a sua vontade?
Se fossemos sempre esperar que elas tivessem vontade estávamos bem estávamos.

... culpamo-las frequentemente pelas situações de violência?
Claro. Se levaram é porque estavam a pedi-las.

pamat disse...

Será o que o MRP colocou não estará no subconsciente de algumas mulheres? O verdadeiro e puro macho latino mas bem lavadinho, e educado.:P:P

Tia Maria disse...

Felizmente a minha esposa nao é assim, senao já tinha levado uma volta. É que eu já aturei uma assim, tal e qual, e é que nao há mesmo paciencia. Convem lembrarmo-nos de que numa relacao, é muito bom gostar do outro/a, mas nao nos podemos esquecer de continuar a gostar de nós. É que há coisas que sao giras, a minha esposa é ciumenta q.b., nao se arma em Spielberg (nao faz filmes), e eu gosto de picá-la e ela entra na onda.
Agora há outras que tornam a vida num inferno, que sao desgastantes e que tiram toda a qualidade á relacao.
Portanto, se numa relacao, uma mulher/homem tem atitudes que encaixam em qq um dos pontos mencionados, está na altura de pensarmos sériamente de quem é que gostamos mais, dela/e ou de nós próprios.
Já agora um conselho aos homens/mulheres que leem este blog, se quiserem ser violentos com a vossa cara-metade, nao o facam em casa, mas na rua. Assim nunca poderao ser acusados de violencia doméstica. Será mais um caso de violencia urbana. lol
Rui e Susana, dois tugas de Almada e Cascais a viver em Wageningen, Holanda

Patrícia disse...

Muito bom post!

SecretLittleGirl disse...

ahahah adorei xD

Anónimo disse...

Eu digo o que acho de todas as mulheres que se mostram "acima" de mim homem: não lhes ligo ou já não estou com elas - Ponto final.

O post tem piada tem...

A proxima vez que me preguntarem se acho que as coxinhas tem demasiada celulite ou não... eu começo a dizer umas verdades...

Então e na proxima vez que disserem: "então mas foste contar!?!?!" (aos amigos - que curiosamente passam por estranhos sempre que convém à nossa senhora) Eu relembro a quantidade de coisas que as amigas sabem sobre nós (mim).

:P

R disse...

ser homem e como um trabalho de grupo, e ter sempre alguém para (des)carregar as culpas! Deus nos dê paciência! *

Eu Mesma! disse...

Adorei...
e claro minha linda.. estragar a unha contra a parede está fora de questão!

miúda gira disse...

Ai, que eu já não me ria assim com um post há tanto tempo.Está genial belota!beijoca

Woman Once a Bird disse...

Mas o panfleto era dirigido apenas ao publico feminino e referia-se exclusivamente ao comportamento masculino?