sexta-feira, 19 de junho de 2009

É esta a próxima geração?

A escola ao lado de minha casa está a celebrar o último dia de aulas. É um estabelecimento de ensino infantil e primário. E os miúdos estão a celebrar como se tivessem conseguido um feito muito grande. Pior ainda... Os pais! Oh os pais! Acabei de passar por um que levava a fotografia da filha estampada numa t-shirt, como se tivesse acabado de sair de uma eliminatória do Big Brother. Hoje há escolas em que os miúdos têm viagens de finalistas quando acabam a 4ª classe. Finalistas de quê? A minha rua está cheia de putos irritantes de 9 anos com chapéus americanos de finalistas. Daqueles que nem nós usamos quando saímos da faculdade! O que é isto?? A sério? No meu tempo, que nem foi assim há tanto tempo, acabar a 4ª classe era uma obrigação. Não havia cá celebrações ou diplomas. Estão a celebrar o quê? O facto de conseguirem colorir dentro das linhas? De saberem a tabuada? Eu própria não sei a tabuada toda, confesso, mas também não me tem feito tanta falta assim. Por isso repito, o que há para celebrar? O facto de já só fazerem chichi nas calças 2 vezes por ano? Quando eu andava na primária havia miúdas que faziam chichi pelas pernas abaixo quando iam ao quadro e não sabiam as coisas. Depois levavam logo um par de estalos. Que é outra coisa que hoje em dia seria impensável. Se vai ao quadro e não sabe resolver o problema, é preciso dizer com jeitinho que tem que estudar mais. Isso ou culpar a falta de atenção dos pais. A culpa nunca é da criancinha. Essa merece um diploma por não fazer mais que a própria obrigação. Estamos a criar uma geração de choninhas, é o que é.

Peço desculpa pela falta de paciência mas é que os putos não param de gritar e de cantar, e se eu oiço mais uma música das Just Girls vou lá rasgar o chapéu de finalistas daquelas amostras de gente. Agora só para acalmar vou falar de gelados no post já a seguir.

26 comentários:

Mnemósine disse...

Percebo o que dizes e concordo com grande parte da tua irritação. Mas acho que isto tem uma justificação (que não servirá a todos): hoje há muito mais distracções do que no nosso tempo, os putos passam mais tempo na escola e menos em casa, os pais tem cada vez menos atenção para dar e os professores têm muitas vezes turmas maiores do que o que é pedagogicamente recomendado, blablabla. É preciso manter os miúdos motivados e as medidas adoptadas nesse sentido acabam por ser exageradas, como as que descreves.
As viagens de finalistas associo não só à motivação mas também ao sentido de grupo, é tudo muito solitário (televisão, jogos, computador).

Red disse...

também me irritam, estas modernices. e o meu tempo não foi há tanto tempo assim. safei-me por um ano ou dois da geração morangos com açucar. cruzes credo :S

hoje tambem havia festao na escola em frente à minha casa. só fiquei um pouco mais aliviada em relação ao futuro da humanidade porque os ouvi cantarem musicas do rei leao. e se eles ainda conhecem o rei leao é porque a juventude nao está totaaaalmente perdida. ;)

Menina do Mar disse...

ooohh não digas isso, vá de certesa que é mesmo só por causa de já estares farta! lool
Eu tive viagem de finalistas do 4º ano...Queima das fitas e uma chapelinho desses, foi tão giro!! Não tem assim nada de mal... É só para nos dar a sensação que já somos "grandes" e acharmos giro mudar de escola...Pelo menos foi o que eu achei looool
não sabia que a moda tinha pegado porque eu fiz isto tudo há...há...12 anos!! (como o tempo passa!! lembro-me perfeitamente do dia!) =P

Le Enfant Terrible disse...

É mimar os meninos até mais não poder! Depois quando sairem do "ninho" é que eu quer ver!

Wolve disse...

concordo com tudo o que disseste. Mas esqueceste-te de dizer uma coisa: as crianças não têm culpa nenhuma, os pais é que precisavam de um par de estalos.

Brokenheartedgirl disse...

É verdade sim senhora, estamos na época dos facilitismos! Por favor, é acordar esta gentinha para a vida.

Beijinho :)

Belota disse...

Sim, a culpa é dos pais, por isso é que eu disse que estamos a criar uma geração de choninhas. A culpa não é deles...

Menina do Mar, ainda bem que te divertiste (ler no sentido sincero), eu acho exagerado na mesma... Queima das fitas? lol

(se calhar por isso é que toda a gente tira uma licenciatura hoje em dia e depois diz que não tem emprego... :S)

Femme Fatale disse...

Agora querem viver tudo logo muito cedo... depois chegam a velhos e já não ligam a nada

Fada disse...

Não são choninhas, são "cóninhas".

:p

Bem, eu tenho visto os meus sobrinhos a ter festas de finalistas no infantário, na primária, no 9º ano.....

É uma questão de consumismo desenfreado, mais uma vez, e também significa que:

-Os professores sobreviveram à ministra, às burocracias e aos miúdos;

-Os miúdos sobreviveram aos roubos, porradas, insultos e à estupidificação.

-Com sorte, alguns sairam de lá a saber alguma coisa de jeito e com vontade de aprender mais. :)

Portanto... É uma festa de celebração da sobrevivência!!!... Lol

Beijitos

Sílvia disse...

Por acaso é verdade... Viagem de finalistas tive eu no 12 ano e foi ali ao algarve loool...

E cartola acho que so mesmo pro ano, no fim do curso... No 4 ano foi adeus e pronto.. Nem festinha nem chapeus nem viagem de finalistas, nada disso...


bjo****

Anónimo disse...

Minha querida,

Quando tiveres 4 pipoquinhas como eu tenho (mas nao faco nada dessas cenas) iras compreender todas essas celebracoes...

Acima de tudo, eles sao criancas...

Ou ja te esqueceste que passaste por la e tb foste irritante para nuitas outras pessoas??

Beijo
JU

Frutinha disse...

ahaha, é mesmo. Os miudos hoje sao uns mimados e não se lhe podem dizer nada

Sofia disse...

Como professoa do 1º ciclo devo dizer-te que me parece muito redutor o que aqui escreveste. Estás a ver as coisas apenas do teu prisma e consegues com este post generalizar de tal forma que das duas uma: ou achas que não se ensina nada nas escolas ou achas que as crianças são todas burras e acabam o 1º ciclo sem saber mais do que a tabuada e colorir dentro de linhas. Errado, minha cara. Antes de dizeres este tipo de coisas, deves saber que há um Programa Nacional do ensino da Língua Portuguesa e um do Ensino da Matemática e das Ciências e que as competências lá expressas são para serem alcançadas até ao final do 1º ciclo. Além do mais, a autonomia, cooperação, responsabilidade, solidaderiedade e humildade são valores (entre muitos outros) que lhes são incutidos desde o 1º ano e servem como base a toda uma aprendizagem fulcral que lhes vai servir para o resto da vida.
Portanto, eu diria mesmo que o 1º ciclo é a fase mais importante de uma criança e sim, devem celebrar a conclusão desse nível. A partir dali saem do ninho e têm de se valer a sí próprios numa escola maior, portanto, para além de ser uma altura de aprendizagens basilares, são também quatro anos de grande crescimento como pessoas. Se não vês isso e não te recordas do que foi para ti o 1º ciclo, tenho pena.
E não, não são choninhas. São pessoas orgulhosas de passar pela 1ª fase de responsabilidade da vida delas e isso é muito importante, tanto para elas, como para os seus professores e pais.
E mais, não batemos hoje em dia, felizmente mas não andamos sempre com paninhos quentes como afirmas. Se são precisos castigos, eles são aplicados, bem como alguns ralhetes. E depois, há uma outra forma de avaliar que não seja ao estalo e que os faz perceber muito melhor as suas dificuldades e evoluções. Não é preciso dar estalos para perceberem que têm de estudar mais.
Não generalizes, sim? Não reduzas as crianças a seres sem qualquer valor e muito menos, não digas que andamos a criar uma geração de choninhas.
Tenho muito orgulho nos meus alunos e no que cresceram durante os 4 anos que os acompanhei e todos eles mereceram aquele diploma que lhes entreguei ontem.

Rita Costa disse...

Quando fores mãe vais compreender estas coisas todas :)

Wolve disse...

também sou professor, e de disciplinas leccionadas individualmente, por isso garanto que tenho contacto muito mais estreito com os meus alunos do que qualquer professor de turma, e digo aqui, clara e definidamente aquilo que é a minha preocupação mais premente como professor: estas crianças não têm NADA na cabeça. Existem as excepções, claro, as crianças brutalmente conscientes do mundo que as rodeia, inteligentes e responsáveis (para a idade que têm) que à escala são mais responsáveis que muitos adultos.

Mas a larga - e com muita pena sublinho, larga - maioria das crianças não tem mais que televisão e brincadeira na cabeça.

sorry.

Wolve disse...

(desculpem o acrescento)

e acho que isto era motivo para preocupação dos nossos governos, dos nossos professores, dos pais deste país, mas sobretudo dos media que estão a moldar irresponsavelmente uma geração, sem olhar a consequencias, apenas a lucros.

Vírgula disse...

Criançs somos todos, adultos é que não. Parece que por aqui há uma certa confusão. Vivenciar cada fase da vida faz parte do crescimento e não é sinónimo de mimisse. Alíás considero que a geração acima das crianças que viste é bem mais mimada, falsamente independente , apesar de afirmar o contrário.
Os pais são a verdadeira revelação, a escola dos filhos é mais um elemento integrante e classificador para a sociedade. Acima de tudo não se pode tomar uma parte como o todo, devemos sim olhar seriamente para cada geração.

Belota disse...

Fada, fartei-me de rir com o teu comentário! :)

Sofia, peço desculpa se o meu post dá a entender que as criancinhas "não têm qualquer valor" ou "são todas burras". Coisas que, atenção, eu não disse. Até porque eu não tenho jeitinho nenhum para colorir dentro das linhas e afirmei logo que não sei a tabuada. Por isso eles estão pelo menos 2 passinhos à minha frente. Mas acho que se exagera. Acho mesmo que hoje em dia se exagera, e que quem sairá a perder no futuro são os próprios miúdos. De resto, ia responder melhor, mas depois li os comentários do Wolve e a verdade é que nem tenho nada a acrescentar. Faço minhas as palavras dele. Infelizmente.

Belota disse...

Ju, eu percebo o ponto de vista dos pais, e é precisamente isso que me revolta hoje em dia. Os meus pais também me devem ter feito uma festa enorme e salientado o quão importante foi eu ter acabado a 4ª classe. Não me lembro, mas devem-no ter feito. Os meus pais. Não a escola. Cada vez tenho mais a sensação que a maioria dos pais larga os miúdos na escola na esperança que eles recebam toda a instrução e valores que deviam ser ensinados em casa mas para os quais já não se tem tempo ou energia. Um pai que trabalha das 9h às 19h, como tantos, infelizmente não tem tempo para estar assim tão presente no desenvolvimento dos filhos. Não é que não o queira ou não sofra com isso, mas simplesmente não consegue. E é uma pena.

E por acaso não, eu não fui irritante nessa idade. Posso tê-lo sido noutra ou mesmo hoje em dia, lol, mas nessa idade não, que na minha escolinha católica, só de meninas, com 40 alunas na escola inteira, andava tudo ali de esquerda em linha! Não havia cá gritinhos nem paninhos quentes, e para ser sincera, acho que não me fez mal nenhum! :)

Eu Mesma! disse...

Eu concordo....
os putos actualmente são hiper irritantes...

ontem estava a almoçar num local onde um casal levou um cãozinho bebé lindo.... (e eu nem ligo para cães)....

o cãozinho resolveu fazer uma necessidade no chão....

um puto passou uns 10 minutos a gritar esganicadamente (atenção que era um menino... que vai virar gay de certeza tadinho....)

FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI FEZ CHICHI

paciência de santos!

os pais....
nem vê-los!

Cris... disse...

Tens tanta, mas tanta razão, que fiquei com inveja de não ter escrito eu o post!
Parabéns!

"Amostras de gente"...ahahahaha, Soberbo!

zézito disse...

Aconteceu-me uma cena semelhante esta semana: uma colega minha disse-me que estava a escrever uma fita de finalistas. Qdo lhe perguntei de quem era, disse-me que era da sobrinha que tinha acabado a 4ª classe...
-- no coments --

coyote disse...

Belota,

És má! As criancinhas vão-se juntar e todas as noites vão para a porta da tua casa cantar musicas pimba...ahhh...e vão levar os mais novos finalistas do infantário para fazer coro!!!!!!
A sério...tens toda a razão, esta nova geração de pais querem ver os filhos crescidos à pressa, não lhes dão tempo para serem crianças e é absolutamente ridiculo esta importação de hábitos e do síndroma "o meu filho é melhor que o teu"!!!
Parecem anõezinhos armados em homenzinhos. Quando tiverem 30 pagam para serem crianças outras vez...
Eu tenho dois sobrinhos e a unica coisa á homem que os putos tem é o cartão de sócio do Benfica!;)

Careca disse...

Como eu te percebo......

Anónimo disse...

Sou professora do 2º ciclo; posso afirmar que a maioria das crianças saem mal preparadas do 1º ciclo; muitas não adquirem as competências essenciais (mal sabem escrever, ler, fazer cálculos básicos...). A nível do desnvolvimento pessoal, os alunos chegam ao 2º ciclo, uns autênticos "bébés"...Estamos a criar uma geração de bébes crescidos, pouco autónomos e não preparados para lidar com a frustração...

dream* disse...

São coisas dessas que me fazem sentir que estou a ficar velha! Velha como quem diz, não passo de uma miúda que ainda nem fez 18 anos, mas no meu tempo faziam-se umas festinhas simples no final do ano e pronto! Chapéus de finalistas? Viagens de finalistas? Também pergunto, finalistas de quê?
Crianças no futuro? me-do.

Ah, já agora deixo aqui uma historiazita... Aqui à um ou dois meses atrás ia a passar na rua e cruzei-me com duas miúdas (que não conheço) e ouvi a conversa entre elas...
- e, mas os actores são bué velhos...
- bué velhos?
- ya, bué velhos mesmo! Têm prai 18 ou 19 anos!!

Penso que elas se estavam a referir ao facto de os actores fazerem que são muito mais novos do que na realidade são, mas... bué velhos? 18 anos? oi?