terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Resposta aos 50 pensamentos dos homens (parte II)

(cont.)

16. Acreditem, não temos nada contra masturbação. O que pensam que fazemos no duche? Levamos 30 minutos só a lavar o cabelo? (e fora do duche, já agora ;) )
17. Precisamos de abraços e de dar a mão. Mas não sejam demasiado melgas que isso aborrece-nos. E continuamos a acreditar que se forem vocês a tomar a iniciativa, das duas uma, ou o vosso clube perdeu a taça ou querem levar-nos para a cama.
18. Mas podem levar-nos para a cama sempre que quiserem (menos nas ocasiões explícitas no ponto 13 claro, e que eu não me vou dar ao trabalho de repetir, mas que devia, uma vez que vocês nunca ouvem nada à primeira.).
19. Não há melhor som no mundo do que a vossa voz a dizer “Estás mais magra não estás?”
20. Embora o som dos saltos de um par de Manolos também não seja nada mau. (nota para homens: é uma marca de sapatos…)
21. Nunca nos mintam. Nós vamos partir do princípio que o fazem, mas temos esperança de estarmos enganadas. Aprendam a diferenciar uma pergunta normal de uma pergunta com resposta condicionada. Pergunta normal: “Apetece-me um gelado, queres?” Pergunta com resposta condicionada: “Achas que coma um gelado? Não estou mais gorda?” Neste último caso não interpretamos a vossa resposta como uma mentira, mas antes como a verdade que nós queremos ouvir. Façam favor de acertar na resposta.
22. Nós nunca nos zangamos por coisas estúpidas e sem nexo. Pode assim parecer, mas na nossa cabeça faz sempre muito sentido e é sempre muito importante. Aprendam a lidar com isso.
23. Sim, ocasionalmente fingimos. Não, vocês não fazem ideia. E não venham cá com teorias porque as vossas ideias já nós as sabemos! E não é por mal, é só porque às vezes apetece-nos despachar a coisa, e como vocês nunca entenderiam isso, nós damos um pequeno entusiasmo extra para que acabem. No entanto agradecemos que se esforcem para lá chegarmos a sério, mas se isso não acontecer (só uma vez por outra) também não é o fim do mundo. Não vamos gostar menos de vocês por isso. (leram a parte do “uma vez por outra”, certo?)
24. Se nos oferecerem ajuda enquanto nos estamos a despachar, achamos que são queridos, mas não tentem mesmo ajudar porque isso só nos vai atrasar ainda mais.
25. Quando pedimos para escolherem aquilo que vamos vestir, não é para o fazerem a sério. É para responderem que somos lindas e ficamos giras de qualquer maneira. Perguntas com respostas condicionadas, lembram-se?
26. Se vos damos algumas hipóteses para escolherem, é só para que sintam que nos são importantes e que fazem parte do processo. Na realidade já sabemos o que usar, e a não ser que sejam gays, não confiamos no vosso sentido de moda nem para apertar um botão quanto mais escolher uma camisola inteira!
27. Nós sabemos que gostam de nos mostrar, por isso levamos tanto tempo a ficarmos prontas. Agradeçam e encorajem esse atraso.
28. E sabemos vestir-nos de acordo com a ocasião. O mesmo não se passa convosco, logo, vistam aquilo que nós sugerimos e não refilem.
29. Quando vos ligamos para o trabalho apenas para “conversar” é porque já temos algo para fazer depois da vossa hora de saída. Não queremos saber se estão a consultar o vosso e-mail ou se nos estão a ouvir. O importante é que já despachámos o contacto desse dia e podemos ir sair com as nossas amigas à vontade.
30. Nós adoramos saias! Só não gostamos de celulite, estrias, varizes e pêlos que teimam em voltar a nascer depois os termos arrancado centenas de vezes. Se não usamos saias com mais frequência, é porque temos uma razão.
31. Gajos que nos ouvem sobre assuntos sem interesse são atraentes. Melhor: gajos que nos ouvem e sabem responder exactamente aquilo que queremos ouvir. Melhor ainda: gajos que fingem ter esquecido as coisas que dissemos. É que com o tempo tendemos a mudar de opinião com alguma regularidade. Limitem-se a darem-nos razão e pronto.
32. Se dissermos que têm uma “camisola querida”, estamos a tentar dar a entender que pensamos que a dita foi escolhida pela vossa mãe. Se acharmos que estão giros dizemos “Estás tão giro!” (sim, esta expressão – geralmente acompanhada de surpresa - não tem mais nenhuma interpretação, é mesmo só isso que queremos dizer)
33. Quando andamos de rabo-de-cavalo é porque não tivemos paciência para nos pentearmos.
34. Serem bons na cama significa a) dedicação b) perceberem que aquilo não é uma competição contra ex-namorados c) terem noção que mesmo não sendo uma competição, nós vamos contar às nossas amigas.
35. Na primeira vez? Só estamos nervosas com medo que vocês também estejam nervosos. E se depois “aquilo” não funciona? (agora é que ficaram mesmo nervosos, não foi?)
36. Apalpões só nos sítios onde a gordura e a celulite não tendem a acumular-se. Se não os conhecem de cor, informem-se antes de se aproximarem.

(cont.)

3 comentários:

patanisca disse...

Estou à espera da continuação ;)

tavguinu disse...

17. e vês mal nisso ?

27. ainda bem :-)

28. NUNCA ! ainda levava uns Jimmy Choo !

36. há algum mapa novo que não esteja a par :-)

Ana disse...

Eles quando querem até são queridos... Mas por muito sinceros que sejam há sempre uma pontinha de "maldade"! Está-lhes no sangue!