quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Um prémio...

...ao homem que me conseguir explicar esse vosso fascínio por mamas. A sério. Têm noção que é uma coisa completamente irracional, certo?
Ficam praticamente paralisados se passa um bom par à vossa frente, ainda que a "proprietária" do mesmo deixe muito a desejar.
E depois há aquelas piadas clássicas, como: «com qual delas gostarias de ficar? Com a que tiver mais mamas!!» (ainda que seja um aborto??? Mamas grandes a qualquer custo??)
OK. Eu até percebo: trata-se de uma parte muito bonita da mulher. Mas daí até ficarem completamente babados e sem reacção... Esta é a parte que não consigo perceber.
Será uma coisa edipiana? Será isso?
É que ficam mesmo fascinados: sejam grandes, sejam pequenas.
Nós agradecemos (mesmo que algumas mulheres se façam passar por chocadas, na verdade, sentem-se apreciadas; são é inseguras e projectam essa insegurança através da agressividade). Mas o que é facto é que os homens não conseguem minimamente disfarçar... ficam, simplesmente, paralisados. E daí a minha pergunta: porquê?

6 comentários:

Belota disse...

E quando se está a conversar com um grupo de homens, passa uma mulher com um decote e eles perdem-se na conversa? De um instante para o outro deixam de saber o que estavam a dizer! Como é que é possível? Só consigo deduzir que de facto os homens são obcecados com os tamanhos. Os nossos e os deles! (lá vou eu poupar o ordenado para mais um push-up bra daqueles cheios de gel lá dentro...)

Libas disse...

Resposta ?!!! Simples, já freud respondia a essa questão fazendo uma analogia a nossa experiência mamária materna. Mas existe aqui um problema, então e quem por razães infelizes nao teve essa experiência ?
Para mim esse é o chamado fenómeno eclipse da Lua, ou do sol, dependendo da natureza de cada um. Vemos a lua todas as noites e o sol todos os dias mas quando os dois se juntam de anos em anos todos paramos e subimos ao telhado para vermos o digno espectáculo. Então connosco é o mesmo, adoramos as mulheres e desde pequeninos mamámos que nem uns perdidos e temos saudades. Quando os dois se juntam, paramos um bocadinho para nos lembrarmos desses velhos e bons tempos que queremos o mais depressa possivel reaver com suavidade ... muita suavidade :)

Belota disse...

Caro libas, a DeusA e eu também mamámos com certeza quando éramos bebés mas mesmo assim conseguimos manter a mesma linha de raciocínio quando passa por nós uma miúda decotada... não é assim tão complicado...

Libas disse...

hehehe Belotinha, vou tentar explicar utilizando uma famosa notação lógica, mas antes irei introduzir algumas notações. Na lógica existem permissas e conclusões. No caso da mulher uma das permissas, excepto em casos raros e que tb geralmente agradam aos homens, uma das permissas falha nesta logica.

Permissas :

P1. Todos os homens adoram mulheres, ou para ser mais especifico com a realidade actual, geralmente os homens adoram as mulheres.

P2. Os homens mamaram quando pequenos e tem saudades :)

Conclusão : Quando se juntam os dois os homens param e lembram-se dos bons velhos tempos.

entao pela logica proposicional,

P1 ^ P2 -> Conclusao

No caso da mulher a permissa P1 geralmente falha, geralmente !!!! logo a conclusao nao pode ser inferida ...

Ui ta tudo maluco

Belota disse...

Filosofia das maminhas. Gostei. O Freud deve estar a dar voltas na campa.

Luís Costa disse...

Mamas? sinceramente não percebo esse fascinio, eu que sou homem. sinto-me mais fascinado por uma barriga bem cuidada...