quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

É preciso muito pouco cérebro para amar

Esta era a chamada da reportagem que acabou de passar no telejornal da RTP1. Aparentemente um neurologista qualquer conduziu um estudo em que chegou à conclusão que as áreas do cérebro que ficam activas quando estamos apaixonados são muito poucas e limitadas. Grande coisa. Basta olhar para determinadas pessoas que estão casadas ou para os disparates que cometemos e dizemos numa relação, para perceber que a coisa não pode envolver muita cabeça de certeza...

15 comentários:

Juky disse...

Por isso é que dizem para seguir o coração, porque a cabeça... não vai lá...

:)

Eu mesma! disse...

por acaso....
fazemos cá para parvoice que até mete dó....

Pipoca disse...

Agora sim prcebo, como é que mulheres inteligentes se apaixonam por totós :)

_Malinha viajante disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
solsticio disse...

Descobri uma coisa super interessante, sabem que o amor da para se visualizar através de uma simples ressonância magnética??? É verdade... O ser humano e o nosso cérebro é realmente complexo!!!!

Sanxeri disse...

Pois caro. Nao se ama com o cerebro, ama-se com o coraçao. Não é preciso ser psicólogo para saber isso. :P

Storyteller disse...

Vivam as descerebradas! Olhem as lesmas: têm muito cérebro? Não! E amam-se umas às outras? Sim! Ok, parvoíce pura e dura... mas é que estou quase, quase a ir para casa.

Larose disse...

Enaaaaaa ..... mas isso é como David contra Golias ....porque é certo que quando se anda apaixonado apesar de se usar uma pequena parte do cérebro, o resto fica completamente afetado|

Juliana Castelo disse...

O amor nos deixa tolos!

Femme Fatale disse...

ahahahahaha pois até a ciência concorda...! =)

Mr. Z disse...

Amor = cheiros, tons, gestos, acções, reacções, etc, etc, etc.
Ou vocês pensam que o coração tem alguma coisa a haver com o assunto se os nossos sentidos não tiverem percepções?!

Pode até ser uma pequena parte do cérebro que esteja relacionada com o "amor", mas o resto já foi tudo previamente processado.
Nem se chega é a dar conta do que se passa por vezes, e quando damos conta de nós já estamos envoltos em impulsos nervosos que nos deixam de mil e uma formas.
Depois é "dar utilidade" a um dos slogans que mais gosto: "Segue o que sentes!".

Poupinhas disse...

hum, daí a nossa reacção est+upida e linda ao mesmo tempo quando visualizamos o dito cujo.. ai vida tirana, até para amar é preciso tão pouco do cérebro.. se calhar os que não amam são os que pensam muito.. digo eu..
B*

Liana Andra Marques disse...

Gostei :)

VCosta disse...

Uma coisa é certa...
Quanto mais se pensa, menos se ama!

Fada disse...

LOLOL

Bom POST!!!

Beijitos