terça-feira, 8 de julho de 2008

Lição nº1 para meninas

Os homens não mudam – e porque haveríamos de querer que o fizessem?

Ontem li um artigo numa revista feminina sobre o que se passa na cabeça das mulheres, e afinal o que é que elas querem realmente. E qual não foi o meu espanto, ao perceber que, a coisa que as mulheres têm em comum umas com as outras, é de facto uma única aspiração. Aquilo que mais querem na vida: encontrar um homem que consigam converter no príncipe perfeito. Elas não querem o príncipe perfeito à partida, querem transformá-lo nisso!
Ora na minha cabeça isto coloca imediatamente duas questões. 1 – Será que as mulheres são suficientemente inteligentes para perceberem que a existência de uma pessoa perfeita é completamente irreal, mas sonhadoras que baste para tentarem atingi-lo? 2- São tão totós quanto eles?
É por esta e por outras, que andamos aqui todos às cabeçadas. Quando um homem encontra uma mulher que goste, a última coisa que quer, é que ela mude. Aliás, tem pânico que ela engorde ou emagreça, mude o estilo da roupa ou corte o cabelo. As mulheres, por seu lado, têm uma necessidade enorme de estar em constante transformação. Mas necessidade maior ainda de transformar os homens. De ter um pequeno projecto. Elucidem-me os leitores masculinos se eu estiver enganada, mas isto parece-me a coisa mais ridícula de sempre. Os homens não mudam. Porque as pessoas não mudam. Mas nós continuamos convencidas que vamos alterar isso. Logo, das duas, três: ou nos capacitamos que não os vamos conseguir mudar, ou eles alinham na brincadeira e deixam-nos viver na ilusão, ou vamos andar sempre nisto e eu vou tendo cada vez mais material para o blog. O meu lado realista e egoísta diz-me que a terceira é a hipótese mais viável. Tanto que eu vou ter para escrever…

9 comentários:

Laredo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laredo disse...

Mesmo que conseguissem um homem perfeito, o que é que depois faziam com ele? Deixava de estar ao seu alcançe, tanta perfeição a contrastar com tanta imperfeição não mistura...é por demais desequilibrado.

Mas a opção é deixá-las brincar aos transformers...vai-se alinhando até que o copo transborda, depois há que mudar de poiso, lá terá que ser...às vezes mesmo contrariados.

Mas enquanto houver Belota, há esperança! Dá-lhes um mini-curso e chama-as à razão, que pode ser que isso ainda lá vá...

Estevão disse...

Até ia deixar um comentário, mas ao ritmo que andam a ser eliminados, achei preferível não o fazer

Belota disse...

Hey, aqui não há censura! Se se arrependem depois de escrever e apagam, já não é comigo. Eu não elimino nada :D

Belota disse...

Laredo, elas são más para mim. Acham que eu digo disparates. Mulheres! lol

Laredo disse...

Os comentários eliminados "pelo autor", é mesmo por quem escreve os comentários, que neste caso fui eu.

Elas adoram ser más! Pra elas, pra eles...é uma forma de estar e um objectivo de vida. Por isso tantas se sentem realizadas sem que consigamos perceber o porquê...

O objectivo de haver dois sexos deve ser mesmo este...o de podermos andar sempre à batatada ad eternum, afinal se isto fosse só love and peace, a explosão demográfica consequente arriscava-se a fazer com que a crusta terrestre colapsasse com tanto peso em cima.

Belota, junta-te aos homens e abandona essa raça maligna!

Ruben disse...

** SERIO ***
Esta forma de agir e interagir com os homens, não estará ligado ao lado materno das mulheres? Pelo que sei, todas as gajas tem estas tendências com os gajos porque está ligado ao modo como são programadas para serem mães. Da mesma forma, como criam as bonecas, nenucos e barbies de todas as espécies em cachopitas. Depois, na idade adulta (e mesmo adolescente) repetem o mesmo, mas desta vez com os namorados. Até acho que as gajas gostam dos homens infantis, porque assim ainda tem muito trabalho pela frente.
No entanto, um gajo, já "formado"; mais a puxar para o homem, com ideias formadas, tornam-se menos atractivos, visto já terem sido criados por outras...

Gajos comentadores deste blog: o que acham? Faz algum sentido para vocês?
Gajas comentadoras deste blog: eu sei que vão negar até ao fim esta teoria, mas la no fundo, no fundo, no fundo...

Belota: Como estamos de leite condensado :P ?

Francisco del Mundo disse...

De facto, a segurança da não mudança é importante para o homem... Não falo de rotinas permanentes mas pelo menos algumas coisas que sabemos como seguras e não susceptiveis de mudanças bruscas. O livro que estou a trabalhar fala um pouco disso! depois deixo-te dar uma peak...:D
Beijo

Doce Trapezista disse...

ah, essa ideia é um pouco desnexada, no minimo...se encontramos alguem com quem gostamos de estar porquê querer mudá-lo!? cá por mim, eu queria é que ele não mudasse, porque parece que muda sempre...para algo pior. tudo muito bem ao inicio e dps muda para pior, n percebo!

devo admitir que encaixo bem na descrição feminina da constante mudança mas mais na exterior...interiormente os principios mantêm-se e por isso nao sou muito capaz de lidar com a inconsistência com que me deparo frequentemente no sexo oposto.
bjs