quarta-feira, 20 de outubro de 2010

E agora nas palavras de Oscar Wilde

"Como é que uma mulher pode esperar ser feliz com um homem que insiste em tratá-la como se fosse um ser humano perfeitamente normal?"

Não somos. Geralmente achamos que somos especiais e que o mundo gira à nossa volta. Também não sabemos muito bem aquilo que somos na realidade. Depende do dia. Ou da hora. Do minuto, vá. Somos queridas, somos vingativas, somos sexys, somos infantis, somos adoráveis, somos detestáveis, somos perigosas, somos preocupadas, somos atentas, somos distraídas, somos um espectáculo, somos insuportáveis, somos decididas, somos completamente perdidas da cabeça, somos impecáveis, somos doidas, somos apaixonadas, somos maternais, somos independentes, somos inconstantes, somos aventureiras, somos temerárias, somos precipitadas, somos alegres, somos mariquinhas, somos felizes, somos profundamente infelizes sem qualquer razão aparente, somos gordas quando todos nos acham magras, somos baralhaditas emocionalmente, somos inesquecíveis, somos sonhadoras, somos focadas e arrebatadoras. Mas se há coisa que não somos, é normais. Isso seria demasiado banal e redutor. E somos tão mais do que isso.

23 comentários:

AnonimousLady disse...

Concordo com tudo o que disseste, e neste preciso momento estou a pensar em tomar decisões drásticas, não porque me trata como se fosse normal, mas porque quando duas pessoas gostam uma da outra não é suposto uma desconfiar de todo o movimento que a outra faz ou diz... desabafei* lol desculpa! :p

Belota disse...

É verdade, isso é uma situação que não funciona para nenhum dos lados. Nem para quem desconfia, que acaba por andar sempre em inseguranças. Tenta palavras sinceras e seguras, do estilo "sim, eu olhei para não sei quem, sim, alguém anda atrás de mim, mas no final do dia, é contigo que eu quero estar, e nada mudará isso". Pessoalmente, e agora referindo-me ao outro lado, gosto sempre de ver a coisa de forma positiva. Ainda bem que há mais miúdas interessadas nele. Só lhe dá mais valor. E faz de mim "normalzinha" (bom termo, tendo em conta o post). É que se eu fosse a única a gostar, era capaz de ser mau sinal... ;)

Desabafa aquilo que quiseres, estamos cá para isso! :D

RaquelAlexandra disse...

Exactamente somos muito mais que simplesmente normais. :D

Patrícia disse...

É isto mesmo.
Não te importas se "roubar" o texto?

Anónimo disse...

" mas se há coisas que não somos, é normais"

Obviamente querida, o Julio de Matos está com lotação completa.

O Conformista

Belota disse...

Hahaha não ser normal não faz de nós loucas, embora por vezes também o sejamos ;) O que é "normal" afinal? ;)

Patrícia, força, estás à vontade!

Rita Graça disse...

Normal é um conceito completamente abstracto e eu não conheço uma única pessoa que possa ser encaixada nesta categoria.

Tânia disse...

Olá Belota, já há muito tempo que te sigo mas só hoje decidi comentar. O teu texto de hoje encaixa-se na perfeição em mim ontem tive uma discução com a minha metade exactamente por isso, ele acha que eu sou maluca... Não sei o que fazer para lhe provar que está errado... normal, coerente, sempre gira, sonhadora, bem disposta, alegre e feliz, aventureira... entre outras são coisas que eu nao sou todos os dias, depende muito sei lá da lua, para que lado acordo...
Eu sou assim e nao sei explicar a quem nao quer entender que nao há explicação!
Desculpa, mais um desabafo!

Bjnhos Belota

Anónimo disse...

portanto, o termo normal....não pode ser aplicado a mulheres...é isso???

portanto, dando a volta à coisa, há sempre mulheres mais normais do que outras...:D

portanto eu assumo que, na descrição do texto, as características são de facto normais, e alguém que não se enquadre no texto, essa sim é...anormal...

e sim são mais que isso, são doidas!...lol


doutorphil: o Pro-anormal

Genéve disse...

Este deve ter sido o melhor post que já escreveste aqui. Perfeito.

CurlyGirl disse...

Sim, pela descrição, sou eu.
E muitas mais. As doses do que somos é que vão variando conforme o momento, por isso, é que os homens dizem que nunca nos compreendem. porque apesar de sermos todas tudo isso, somos sempre diferentes das outras e de nós próprias.

Já disse que gosto muito deste blog? Acho que sim, mas nunca é demais lembrar. =)

Uma Rapariga disse...

Belota, eu uma vez disse ao meu companheiro da altura que ele não me conhecia realmente, que conhecia a menina certinha, boa rapariga, arrumadinha, amiga, e era só dessa que ele gostava, porque ele não tinha interesse em conhecer mais de mim e eu era tanto mas tanto mais que isso...

Francisco o Pensador disse...

Bem...se basearmos a nossa opinião nos elementos vitais que caracterizam actualmente este nosso mundo, diria que o Normal hoje em dia...é sermos Anormais.

Mas concordo plenamente com o comentário da Rita Graça.
Definir o que é normal (ou anormal) não diz respeito apenas a questões biológicas, mas sim, principalmente, a questões sociais.
Numa sociedade musulmana, por exemplo, é normal vermos uma mulher a usar Burka, mas numa sociedade ocidental, essa ideia por si só é aberrante.
O que pretendo dizer é que antes de podermos encaixar alguém numa categoria tão abstracta como a de "normal", devemos procurar definir, primeiramente, o que se considera mormal no seu meio envolvente.

Patricia disse...

subscrevo! e vou roubar, com os devidos créditos, para a minha página do facebook.

bjs

Saltos Altos Vermelhos disse...

Eu pessoalmente sou bastante anormal, e gosto tantoo!

Ágape disse...

EXCELENTE!!! :)

Pestinha disse...

São sempre únicas e especiais...

Kiss

Li disse...

AMEI!

SuperSónica disse...

Adorei o texto. Lindo

Anónimo disse...

Que é como quem diz: "somos exactamente como nos apetece ser e nos dá na real gana, por isso habituem-se a isso e é se querem dar umas quecas". E fiquem a saber minhas meninas que é exactamente por causa disso que há muitos totós que não estão para aturar egoísmos e "vão dar umas voltas a outros jardins". É que não há pachorra mesmo.

E confessem lá, se fosse ao contrário e o sexo masculino é que tivesse essas "qualidades" todas, vocês tb não tinham pachorra para nos aturar. E a prova disso é que nem vocês se aturam/compreendem a vocês próprias nem tão pouco às vossas amigas.

Abram horizontes e deixam de olhar só pró vosso umbigo.

Francisco o Pensador disse...

Pois...abram horizontes e fazem o quê...tornam-se fufas?
Olhando o umbigo umas das outras?

Sim, só pode... porque com mentalidades como esta aqui do sr "Anónimo", é pouco provável que elas venham a ganhar uma maior empatia pelos homens.

É cada um que mais se parece com meia duzia..

Anónimo disse...

Sim, só pode... porque com mentalidades como esta aqui do sr "Francisco o Pensador" (Anónimo?), pelas baboseiras, "Pensadorías & Trollitadas" que escreves e tendo em conta que "desconfias que a maioria de nós, também tenha um bom par de cornos...", deves ser um modelo de empatia no meio das mulheres...

Francisco o Pensador disse...

Amigo, sou anónimo para muita gente menos para quem interressa de verdade.

Mas numa coisa acertou, sou um modelo sim.
As minhas "Baboseiras" - assumidas -, sempre tiveram o condão de agradar os meus amigos e enervar aqueles que me detestam.
Além disso, é bom o sr saber que, tratando-se de mulheres, sempre foi mais produtivo ficar bem ao "meio" do que permanecer à margem.
Até porque, para que se torne possível que a maioria dos homens venha a ter um bom par de cornos, alguém tem que assumir a tarefa (ingratissima!) de os meter...

;)