sexta-feira, 16 de maio de 2008

Infiel uma vez, infiel para sempre?

Se andarem um pouco para baixo podem ver que no início deste mês escrevi um post que consistia em enumerar 6 coisas que odeio e sugerir a 6 outros bloggers que fizessem o mesmo. Um deles não é propriamente um blogger, pelo que sugeri que o fizesse na caixa dos comentários. Pois que uma das coisas que o Laredo se queixou que odeia foi:

As queixas sistemáticas da infidelidade masculina, quando a seguir a despacharem um infiel, vão buscar outro infiel que uma amiga já tinha despachado há uns tempos…”

Eu não sei o que dizer. A sério que não sei. Escreveu ele isso e no dia anterior tinha eu estado à conversa sobre o mesmo assunto com uma amiga. Por que razão nos metemos com gajos infiéis e depois nos queixamos? Não sei. Pura e simplesmente não sei. Mas fazemo-lo. E o pior é que aconselhamos as amigas a não o fazerem, e quando no fim elas se magoam, ainda refilamos por cima, porque nós avisámos! Mas quando nos toca a nós o caso muda de figura…
Eu não acredito que um homem que trai o faça para sempre. Acredito que existam excepções. Que confirmam a regra. E a regra é que quem trai uma vez trai as outras a seguir. Meninas, tudo o que eles dizem é mentira! Que não estão felizes com a namorada, que acabam com ela quando arranjarem outra pessoa… Nada disso é verdade! É o mesmo que dizer que assim que me derem um gelado de morango, eu deito fora o gelado de chocolate. Por que é que não posso comer os dois?
Não sei. Acho que no fundo aquilo que estraga tudo é a nossa parte feminina e sonhadora, que não queremos admitir mas que está lá, e que nos grita do interior que eles não prestam e magoam toda a gente. Mas nós é que vamos mudar isso e connosco vai ser diferente. Mas não vai.

15 comentários:

Ana disse...

A culpa é de quem nos põe na cabeça que existem histórias de amor perfeitas com direito a um princípe encantado... Tretas e das grandes!!
Eu acho que a maioria dos homens quando trai uma vez, trai a segunda e terceira se tiver essa oportunidade!
Mas também vamos dar a mão á palmatória... As mulheres fazem o mesmo, porque já nem todas acreditam naquelas tretas do princípe e afins!!

Pistaxa disse...

Ao menos isso.Passado anos e anos de cegueira, finalmente já pomos a hipotese qde o principe encantado ser tão real quanto o Pai Natal.
^^

Belota disse...

Infelizmente acho que têm as duas razão. Não existem príncipes encantados. Mas tb já não existem princesas... O post não contempla o facto de que hoje em dia as mulheres traem tanto quanto os homens... (acho eu)
Ainda bem que não existem regras sem excepções... :D

Maria Manuela disse...

a fidelidade tem a ver com o carácter das pessoas. Quem consegue trair um amor , também o fará com uma amizadade,pela ordem de grandeza das coisas.... Mas também a vida às vezes prega-nos grandes partidas ....
bjo

Pistaxa disse...

É estranho..se tanta gente parece preokupada com a fidelidade do outro, pk é k as pessoas são tão infieis?

Orgásmica disse...

Todas estas questões, polémicas e provocações para te divertires em http://audaciosos.blogs.sapo.pt

Mulheka disse...

Tou metida numa situação parecida que mais parece uma novela de TVI!!!

Quando estamos metidas numa situação do género, a atitude que pensamos ser a mais óbvia e sensata quando estamos de fora, torna-se muito mais dificil e é tudo uma confusão de sentimentos, convicções, quereres, enfim... um treta!

Laredo disse...

Como disse a M&M, acredito que é uma questão de carácter. Qualquer bom vigarista é um infiel. Se trai a cara metade também trai uma amizade, um cliente, o patrão, o cão, o gato...
O que custa mesmo, quando custa, é trair a 1ª vez, daí prá frente, é sempre a aviar!

Há sempre os arrependido, os que não devem querer voltar a fazer, e há os que lhe ganham o gosto e não querem mais nada!...nem que seja com a perneta, maneta e cegueta ali do canto!O que vale é ter mais uma ligação por fora, uma novidade, enquanto o é. Ainda há aqueles que estão bem e não mexem mais, desde que tenham duas em paralelo, até podiam ser as duas mulheres ou amantes, ele nem as distingue. Modelo pró-árabe...

Depois, há o reverso da medalha, personificado na mulher, todos nós temos casos concretos em mente, não é verdade?

Laredo disse...

Muitos de nós já ouvimos falar dum tal "gene egoísta", até houve quem escrevesse um livro com esse título ou parecido...

Ninguém fala disso, as mulheres raramente o querem admitir e nenhuma gosta da idéia, mas...e se a biologia se estiver a lixar para as questões sentimentais e sociais dos humanos?

A forma mais eficaz de fazer proliferar uma espécie e garantir a evolução, não é combinar diferenças genéticas? E se o fornecedor do cromossoma Y estiver mesmo programado para o espalhar por diferentes receptores? Ou o receptor, o tal do X, estiver também programado para receber muitos Y diferentes? E agora? Deveríamos ser todos muito infiéis?
Ou afinal, a infidelidade é meramente a coisa mais natural do mundo?..as questões sociais só andam cá para lixar a espécie, que se por acaso se extinguisse até dava bastante jeito à vida no planeta!!

Vá lá, cortem, arrasem...apresentem teorias giras...

Laredo disse...

Quanto aquela teoria do "Que não estão felizes com a namorada, que acabam com ela quando arranjarem outra pessoa", até pode ser, se a pessoa que arranjarem valer muito mais a pena que a actual, de outra forma, pode não dar para a trabalheira do processo de reeducação e readaptação!
Como há coisas que não se descobrem nem à 2ª nem à 3ª, só se sabe um tempito depois, e afinal, nem valia apena mudar...

Laredo disse...

Vou-me embora, antes que saia daqui corrido a pontapés...ainda me soltam os pit bulls...

O Desempata Fodas disse...

Os gajos são todos uns filhos da ...!! Esquece que eles não mudam. Coitadinhas delas que são umas vitimas...

Já agora. Não confundas relacionamentos "amorosos" com amizade. É a mesma coisa que confundir a estrada da Beira com a beira da estrada

O pensador disse...

Belota, nós (homens e mulheres) conseguimos ser infieis de várias outras maneiras sem ser sexualmente.
Deve-se valorizar sobretudo a Lealdade, porque fiel...ninguém é fiel!
Se estás com o teu namorado/marido e fantasias que estás com o Brad Pitt já estás a ser infiel, percebes?

O que leva as pessoas a ser infieis sexualmente tem uma única causa.
Do seu nome: O tédio.

Vê as coisas desta forma:
Imagina que adoras um bom Bife e quando vês um no prato, não resistes a comê-lo!
Agora imagina que tens de comer Bife todos os dias, a todas as refeições durante 1 semana.
Já estás a perceber a ideia?
Chegas ao fim da semana e já não suportas ver Bife a tua frente!

As relações amorosas é igual.
O tédio mata qualquer relação que caia na monotonia, no tédio, nos gestos repetidos..

Que se deve fazer então para que uma relação resulte?

Inovar, variar, renovar, surpreender constantemente!
Nunca cair no tédio...

E consegue-se?
Sim. Desde que tenhamos uma mente aberta para todas as coisas e estejamos dispostos a quebrar alguns tabus (sexuais e sociais).

José Marau disse...

Creio que n se deve generalizar, sobretudo nos tempos de hoje, onde a percentagem de traição entre homens e mulheres já é muito mais próxima.
Eu sou um Ele e considero-me a Pessoa mais Fiel do Mundo!!!
Infedilidade é das coisas que mais me mete nojo!! Magoar a pessoa que amamos é simplesmente TRISTE!!
E se não a amamos, então já não deveriamos estar com ela!!
Bjs**

comum anormal disse...

Antes de mais, parabens pelo teu blog que acho excelente.

Quanto ao tema do post acho que a traição so existe quando há um comprometimento efectivo de ambas as partes sobre um determinado assunto e por vezes isso é assumido apenas por uma das partes.

No caso das relações amorosas é obvio que deveria haver um maior comprometimento mas tentem explicar à mulher com quem se tem uma relação que a ADORAM, que é literalmente a cara metade mas que apesar disso gostavam de experimentar o prazer da carne com outra mulher que NAO ADORAM nem nada querem com ela.

As mulheres dificilemente separam de forma mais eficaz o conceito de sexo com o conceito de amor.

Nao justifico de todo o acto da traição mas consigo perceber alguns "atenuantes" de porque os homens o fazem.