terça-feira, 3 de julho de 2012

O pedido de casamento (parte I)

Lembram-se deste menino? Pois que em Fevereiro aqui a Belota e o Menino das Bolachas acharam que queriam algo mais. E como por aqui se faz tudo ao contrário e diferente, primeiro decidimos casar, e só depois é que veio o pedido de casamento. Na altura tínhamos decidido logo como, quando, e onde casávamos, e por isso eu estava convencida de que haveria um pedido oficial, mas mais perto da data. E ele de facto fez o pedido. Três meses antes daquilo que eu antecipara...

Depois de muitos fins-de-semana cheios de trabalho, ele lá insistiu que nunca tínhamos tempo para nós e que eu tinha que tirar um Sábado e Domingo para descansarmos. Nada de especial, um passeio a pé, comer qualquer coisa na rua, namorar sem stress. E eu assim fiz. Enfiei uma mini-saia e umas Uggs, o mais confortável e prático possível, e lá fomos. Primeira coisa estranha: o passeio a pé envolvia sair de casa de carro. Segunda coisa estranha: o carro nem andou assim tanto e parou na rua do meu hotel preferido. Não perguntei nada, sei que quando ele tem alguma coisa programada, gosta de fazer surpresa, e nunca me diria. Por isso saí do carro, a pensar que íamos almoçar num sítio qualquer ali perto. Terceira coisa estranha: tínhamos dado cinco passos e ele diz-me que se tinha esquecido de uma coisa e volta para trás. Vai à mala e tira um saco de fim-de-semana. Quarta coisa estranha: quando lhe pergunto para que é que ele precisa daquilo para ir almoçar, ele responde "e é pesado, queres ver?". Passa-me o saco para a mão e eu quase que o deixei cair. Intrigada, mas caladinha. Continuamos a andar e ele vira para a entrada do hotel. Aí já não consegui ficar sossegada. "Vamos almoçar aqui?? Mas vamos almoçar aqui?? Vamos? Vamos?" E ele nada. E a minha cabeça a funcionar 100% no feminino e só pensava "fogo, devia ter trazido outros sapatos, estou tão desarranjada!". Entramos e perguntam-nos logo: "É para fazer check-in?" E os dois ao mesmo tempo: não (eu), sim (ele). Hum? Ora aí a Belota perdeu-se. Depois aparece uma senhora, manager do hotel, olha para o rapaz que estava ao balcão e diz "do Sr. Menino das Bolachas trato eu". Sr. Menino das Bolachas? Eles sabem o nome dele?? Queres ver que... Tu queres ver... Ai que vai sair disto um pedido de casamento... E os dois segundos em que isto me passou pela cabeça, foram os mesmos dois segundos em que pensei "que disparate, não é nada disso de certeza, se fosse eu teria desconfiado mais cedo!". Aqui está uma grande parvoíce de miúda. Pensar que sabemos tudo e que eles não conseguem fazer nada sem que nos apercebamos antes. Outra parvoíce feminina, foram as trinta preocupações que me vieram à cabeça naquele instante: não trouxe roupa comigo, não tenho nada que possa precisar durante o fim-de-semana, como é que está a minha depilação, que lingerie é que vesti esta manhã... No meio disto já estava com a cabeça a mil, por isso limitei-me a seguir a senhora que pediu que a acompanhássemos...

4 comentários:

S* disse...

Ui, tão típico de mulher. Eu também ficava preocupada se estivesse menos bem arranjada na altura em que me pedissem em casamento... mas conta, conta, que eu estou a gostar.

Saltos Altos Vermelhos disse...

Voltaste? Finalmente! Fiquei em pulgas agora!

Belota disse...

Ui tanta coisa para contar...

:)

Anita Garcia disse...

O pormenor dos pensamentos que passam pela mente nessas alturas!! ahahahah Do best!! Fico a aguardar o resto! :)