terça-feira, 3 de maio de 2011

Peso Pesado ou Triste Drama?

Ok que toda a gente tem problemas e a vida é difícil e que essa é a dura realidade das coisas. Mas o Peso Pesado não era suposto ser uma coisa divertida, positiva e optimista? Eu vi apenas cinco ou dez minutos ontem e apanhei de tudo (conversa, que não se passa muito mais além disso). Avós e pais que morreram, irmãos autistas, lares, depressões, a Júlia Pinheiro a perguntar se conseguiam andar de transportes públicos com aquela vozinha comedida de quem anuncia o fim irremediável do mundo, a música, my god, a música de fazer chorar as pedras da calçada. Tudo a coisa mais melodramática de sempre. Eu sabia que o conceito era incentivar as pessoas a mudarem de vida. Agora fiquei foi na dúvida se a tentativa da produção é que se perca peso ou que toda a gente se atire da janela. Depois de três fatias de bolo, um copo de veneno e um tiro na nuca. Just in case.

15 comentários:

Minnie disse...

Ainda não vi estou para ir ver.. no que ficou isso :S

Minnie disse...

Ainda não vi estou para ir ver.. no que ficou isso :S

Francisco o Pensador disse...

Espera ai Belota, mas é claro que a coisa tem que aprecer melodramática.
Que pretendias ver ao certo? Hipopótamos e Elefantes a viver em alegria e a saltar de flor em flor?
E aquela miúda de 28 anos com 170 kilos, gostarias a vê-la a dançar e a cantar o "What a Wonderful world"?
Tem dó, nê?

Se eu estivesse em vias de me tornar obeso/gordo, esse programa seria um excelente incentivo para eu repensar toda a minha vida.
A ideia é tirar a ideia de ser gordo a quem vê o programa e não o contrário. :)

Belota disse...

Mas as pessoas não estão já suficientemente conscientes dos seus problemas sem ter a Júlia Pinheiro constantemente a bater no ceguinho? Não há um limite de comiseração?? Um aspecto positivo a ser mencionado em vez de drama atrás de drama??

Gosto muito pouco de dramatismos. Tudo o que é excesso mexe comigo. Mexe mais até o excesso de drama do que o excesso de peso!

Belota disse...

Se eu tiver uma perna partida fico chateada, mas se houver alguém à minha volta a lembrar-me que tenho ainda uma unha encravada e dois dedos prestes a cair de gangrena, não sei se fico muito motivada a curar a perna. Uma dose de optimismo faz muito bem. Sobretudo em termos motivacionais.

Andreia disse...

basta ver os episodios americanos!a serio...somos um país tao mesquinho,p terem uma ideia, ainda esta semana no programa americano descobrimos q o rapaz q saiu do campus andava com uma das miudas que lá estava dentro.e só soubemos disso qd os 2 ja estavam cá fora.e nao foi por n haver imagens deles os 2 na casa!NAO! foi pk na america interessa de facto o esforço deles,a dieta, o exercicio! em portugal a julia ja tentou fazer arranjinhos e dramas por td!é ridiculo!

Francisco o Pensador disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Francisco o Pensador disse...

Belota, já esquecestes como funciona a cabeça do ser humano?
As pessoas podem estar conscientes dos problemas, mas nunca ficam conscientes para a necessidade de os resolver.
Chama-se a isso preguiça intelectual e apetência natural para a martirização.
Em cirscunstâncias normais, logo que haja problemas, são muito poucos os que decidem enfrentar os problemas de frente e lutam por uma solução.

Concordo contigo quando dizes que deva haver um limite de comiseração (tudo o que é exagerado é prejudicial, até no beber água), mas quero acreditar que esse "abuso" tenha um papel muito especifico no processo de recuperação seguido pelos concorrentes.

Belota, as pessoas não agem, as pessoas reagem, entendes?
E quando é que elas reagem?
Quando se sentem ameaçadas, atacadas, maltratadas, injuriadas.
Se meteres paninhos quentes ou passares a mãozinha por cima da cabeça delas, podes acreditar que dali só vão sair Marias choronas, "coitadinhos" e gente derrotada.

Para além disso Belota, quando essa malta toda começar a perder os primeiros quilos, essa situação não será responsável por trazer as tais doses de optimismo de que falas?
Não será isso uma vitória? um obstáculo vencido?
Não traz isso esperança? A fé de que tudo é possível quando existe vontade? :)
Ninguém consegue nada sem esforço e sem luta Belota.
Creio ser essa a principal mensagem do programa.

Abs

o stressado disse...

Não acho piada nenhuma em ver gordos a sofrer. Já o tinha dito em relação aos americanos:
http://ostressado.blogspot.com/2011/02/os-fortes.html

Careca disse...

Mas o que é que estavam à espera? O nome diz tudo: "Júlia Pinheiro..."

Pinky disse...

concordo, aquilo esteve para lá de depressivo! se continuar assim vai ser os concorrentes a chorar todos os dias

Andreia disse...

que eles chorem todos os dias a mim nao me xateia nada,já dizia a minha avó "qt mais choras menos mijas"! o k me irrita é nao os ver a dar no duro!é só conversa e mais conversa!e dp vem pas revistas dizer q afinal aquilo n é assim tao duro e nao trabalham assim tanto!só se for em portugal!

Anónimo disse...

MAis um programa deprimente para entreter o povito???.

Vejam a RTP2 se nao tem tv cabo. E um bom canal por sinal

Fatyly disse...

Eu vejo apenas os resumos na SIC, porque segundo sei dão mais pormenores na Sic-Meo.

Sabes, concordo em absoluto com os dois comentários de Francisco o Pensador...e quem de facto é gordo deveria ver e aprender para evitar chegar a uma obesidade mórbida.

inês, a anónima disse...

Alguém devia explicar à produção que o formato do biggest loser é diferente do do Big Brother. Tenho a impressão que eles ainda nao atingiram...