terça-feira, 9 de novembro de 2010

Coisas que me enervam

A crise e o jeitinho que temos para nos fazermos de vítimas, e como a televisão nacional explora isso. Já não aguento mais reportagens sobre gente que não tem dinheiro para comer. É que falta de comida é coisa que me faz mesmo aflição. Mas depois faz-me confusão ver imagens de famílias a abrirem o frigorífico para se queixarem que não têm lá quase nada, mas o pouco que têm é da Compal, Mimosa e Panrico. Marcas brancas que custam um terço, nem vê-las. Nas televisões ao lado, passam canais por cabo de custo extra que nem eu tenho. Agora mesmo no telejornal falava-se num estudo que afirma que os portugueses vão gastar em média 575 euros em compras de Natal. Tomara muita gente receber isso como ordenado. Os bilhetes para o concerto da Shakira estão esgotados, tal como esgotaram os do Michael Bublé ou dos U2 em Coimbra (mais hotéis, gasolina, portagens e comida para a maior parte de quem lá foi). Continuamos a ser dos países que vendem mais automóveis novos. Na Sábado vinha um artigo de umas crianças que não comiam porque a família não tinha dinheiro para os alimentar. A mãe não trabalhava e o pai tinha perdido o emprego e estava sem subsídio. Antes disso tirava 2500 euros por mês. E poupanças? Eu não sou ninguém para vir para aqui refilar ou ensinar como se vive, mas enerva-me, porque a verdade é que há mesmo gente com fome e sem dinheiro para comer. Gente sem casa, sem televisão e com um frigorífico verdadeiramente vazio. E depois há outros, de acordo com o telejornal também, que gastam 600 euros em bilhetes para o futebol. E o que me tira mesmo do sério, é que são esses os que depois se queixam.

28 comentários:

Poetic GIRL disse...

É belota tens toda a razão para sentires essa indignação. Toda a minha vida vi os meus pais pouparem e nunca tiverem esses ordenados, do pouco que ganhavam ainda sobrava... bem se diz quanto mais se ganha pior o sabem governar, bjs

AM_AF disse...

Ola!

Partilhei este teu texto no facebook, com o respectivo link!
Espero que não te importes!

É que eu concordo completamente!!
**

Anónimo disse...

ASSINO POR BAIXO, HÁ POUCO TEMPO VI NUMA REPORTAGEM DO GÉNERO UMA MÃE "CHORAVA" PORQUE NÃO HAVIA DINHEIRO PARA A COMIDA DA FILHA ENQUANTO ELA PRÓPRIA APRESENTAVA-SE COM UMAS BRUTAS UNHACAS DE GEL, QUE EU NÃO SEI QUANTO CUSTA MAS PALPITA-ME QUE DÁ PARA FAZER UM BELO AVIO PARA ENCHER O FRIGORÍFICO.

ISABEL

Mnemósine disse...

Muitas vezes quem tem menos é quem menos se queixa porque já está habituado. As pessoas não poupam porque não são ensinadas a isso, numa sociedade de consumo como a que temos continua a pensar-se que aulas de economia e finanças pessoais são tonterias... O resultado é que muita gente não sabe o que fazer com o dinheiro, seja ele muito ou pouco.

rosemary disse...

É mesmo! Ficou parva com certas coisas que se vê por aí. Essa situação de ganhar antes de perder o emprego 2500€/mês e agora dizer que não tem como alimentar os filhos?!? Como não tem dinheiro? Não pensa no futuro, em particular no futuro dos filhos? Que irresponsabilidade! Bem, passo-me com estas coisas, passo-me!

bjs*

S* disse...

Poupar é a palavra chave. nem que sejam 5 euros por mês.

Existem os pobres e existem os pobres-desgraçadinhos-da-crise. Os primeiros lamento, os segundos até acuso de falta de consciência. Poupar meus amigos, poupar.

Anónimo disse...

não podem ver as coisas apenas nesse prisma...

é sabido que as pessoas gastam de acordo com o que ganham e com o que não ganham...

maior o ordenado, maior a despesa:
casa maior
carro maior
lcd maior...
escolas mais caras

não estou a ver nenhum de nós, que, em dada altura passasse de um ordenado de 800€ para um de 2500€, que continuava a viver no bairro social...que continuava a conduzir um carro com 10 anos...

os portugueses de facto não poupam, e não se poupam também a dividas...

um terço dos carros que passam por mim na auto estrada, são carros de valor acima dos 30.000€! é o que eu chamo a brigada do TDi, tem de ser premium, tem de ser preto, e tem de ir sempre a abrir na faixa da esquerda...

será que 1/3 das pessoas na auto estrada têm ordenados que permitam comprar carros de 30.000€ ou mais??? é que parece que vejo muita gente rica por ai...

e quanto mais se sobe, maior a queda...


doutorphil, passeando alegremente na faixa da direita com o seu carro com 10anos...:S

hierra disse...

Ora nem mais, não podia estar mais de acordo...é que as pessoas se lhe acontecer um imprevisto já não têm dinheiro para nada, pk gastam tudo o que ganham, aliás qdo se apanham com dinheiro é tudo do bom e do melhor...só que ás vezes sabe Deus, a míseria que vai por trás de tudo aquilo!

Capitão Microondas disse...

Com esta conversa fizeste-me lembrar daquela vez em que disseste que não tinhas bilha do gás para tomar banho quente. Essa porcaria comoveu-me mesmo. Ou isso ou entrou-me no imaginário, a imagem do boneco da barra da direita aos saltos no duche frio, entre "ais" e "uis".

(este comentário pode parecer insensível mas é sobretudo honesto)

Stiletto disse...

Isso não é bem assim. Hoje em dia há uma série de novos pobres. Gente que de repente ficou desempregada e que não consegue arranjar emprego. E muitos tentam de tudo. A questão é que as despesas continuam e ninguém vai a correr vender a casa ou tirar os filhos dos colégios, porque a verdade é que se acha que a situação é temporária. Mas muitas vezes não é.
Quanto aos automóveis de 30000€, muitos são das empresas. Toda a minha vida andei de mercedes e nunca paguei nenhum.
A menina está a ser mais papista que o Papa..

algodãozinho disse...

Inteiramente de acordo.
Também tenho re repensar os meus gastos ...

Belota disse...

Capitão Microondas, eu acho é que me imaginaste no duche frio... hahaha

Agora está tudo bem outra vez, mas aqui a Belota esteve uns bons meses com ordenados em atraso. E sobreviveu como? Tinha poupanças! Vá, que não duram para sempre, e por isso nessa altura já andava muito irritada, mas não havia cá saídas, nem almoços fora, nem bebidas à noite, nem fosse o que fosse. Eu não me posso queixar, tenho noção que tenho uma boa vida, mas isto às vezes toca a todos!

O que me irrita mesmo nisto, são as pessoas que não fazem mais nada se não queixar-se. E há muita gente que precisa mesmo e se remete ao silêncio. E esses as televisões já não fazem tanta questão de mostrar.

Fatyly disse...

Subscrevo totalmente e não retiro uma vírgula. Finalmente vejo que alguém pensa e faz como eu sempre fiz e ensinei as filhas a fazer.

Não consegui fazer poupanças porque fiquei sózinha com elas, mas ensinei-as a viver com o que tinham e ou a poupar. Mesadas? nunca houve mas quando os meus pais lhes davam algo, aquele pedacinho era valioso e guardado para um extra muito bem pensado e repensado.

Hoje são elas e eles que seguem as minhas pegadas e sou avó em SOS, porque quem os tem que os crie e eduque.

Julgo que a actual crise e sobretudo a inversão de valores se deve aos da minha geração que habituaram os filhos a ter tudo o que não tivemos...e de mão beijada sem suarem, lutarem para as obter!

dani disse...

Concordo a 100%! Tanta gente com necessidades reais e só dão este tipo de reportagens, com os "novos pobres". Então e os que ganhavam 450€ e agora não ganham nada o que é feito deles? pela lógica já morreram à fome.
Essa família do senhor que ganhava 2500€ podia fazer um workshop de finanças com a minha mãe, que não tem formação em economia ou finanças, mas sempre geriu uma casa com 3 filhos e com muito menos € por mês.

Anónimo disse...

Não podia estar mais de acordo. Sou professora e lido com este tipo de situações frequentemente. Por exemplo,aparecem mães a queixarem-se que não têm dinheiro para material, mas vêm de cigarro na mão, tomam o pequeno-almoço no café, mandam lanches para os filhos à base de batatas fritas, Bollycao e afins, etc,etc.
Isto é uma pequena amostra. Poderia estar aqui a enumerar muito mais exemplos.
A pobreza maior é a de espírito.

Diana disse...

Concordo inteiramente contigo. Sabes eu fui uma das pessoas que fui ao concerto do Bublé e tipo como o meu namorado sai as 19h do emprego fomos jantar ao Vasco da Gama para não nos atrasar. E foi impressionante ver a quantidade de pessoas ali estavam a jantar :O Fiquei mesmo pasmada!!! As filas que haviam. Ok podem dizer que muita gente estava na mesma situação que eu e eu aceito, mas a verdade é que no fds passado tinha lá estado só mesmo para passear e verifiquei que estava cheio e aliás parece que toda a gente resolveu ir de carro :S
Não percebo o conceito de crise....

Rina disse...

Estou totalmente de acordo

Fozeira disse...

Concordo com a tua visão,minha querida...Já não posso ouvir falar da crise, estou pelos cabelos e estou nessa situação precária que é o desemprego. Tenho poupanças,graças a Deus,mas tenho também uns pais maravilhosos que me ensinaram a poupar e o valor do dinheiro. Que me tiravam da cama às 6,30h da manhã para apanhar o comboio porque ficava caro ir de carro.Nunca tive mesada e telemóvel só tive quando fui para a faculdade. E trabalhei desde cedo,em supermercados. Dava para pagar as minhas contas e saídas à noite.Carta e carro tb os paguei eu e não morri...Não concordo com a visão de que quanto mais se ganha mais se gasta ou fica mal andar com um carro de 10 anos!O meu tem 9 e é um peageut 206 que está sempre bem e actual. Ordenados grandes, casas grandes? Para quê?ainda se tivessem uma familia de 10 pessoas...

e poderia continuar por aqui fora...mas tudo depende das prioridades das pessoas!Eu decidi estudar mais um pouco e tenho a certeza que a situação é temporária.

Mas que fui ensinada de outra forma, fui...

Contudo, se não nos queixarmos e revoltarmos a sério com isto, vamos sempre ser os lorpas que vivem na cauda de PT!!!

Beijo

Kitty * disse...

Concordo contigo. Sim, há pobreza, há miséria, há algumas pessoas a passarem fome e necessidades. Mas sobretudo, há muita gente que não sabe gerir o dinheiro... Nem estão interessados em aprender.

Tudo bem que uma pessoa que ganha 2500€ pode ter um estilo de vida muito acima de outra que ganhe 1000€, mas também deve ter a inteligência de poupar.

Eu ganho pouco, mas preocupo-me em poupar algum. Necessariamente tenho de me privar de algumas coisas... Paciência, janto fora menos vezes.

Patrícia disse...

Olá
Concordo que a crise e o jeitinho para nos fazermos de vítimas enerva.
Concordo que a Tv nacional não só explora isso como se diverte com isso.
Concordo que é importante poupar, saber gerir o dinheiro e precaver-se para tempos mais duros.

Mas o que me enerva mesmo é a exposição a que os miúdos, filhos dessas famílias que aparecem na TV, são sujeitos. Será que os pais não pensam que no dia seguinte aquelas crianças vão estar na escola?
Ser pobre não é crime nem vergonha, mas para quê expor crianças a nível nacional com a conversa "ah estamos tão mal que nem temos para comer?". Irrita-me.

Mas o desemprego é complicado. As poupanças acabam e nem sempre são fáceis de fazer. No nosso país não há mercado de arrendamento, logo comprar uma casa é (quase) obrigatório. Os transportes muitas vezes não existem (Lisboa - onde nem tudo é perfeito mas onde existe uma rede de transportes públicos - não é exemplo do país) e um carro é importante. Da mesma forma os telefones, a TV cabo e outros "luxos"já entraram nas nossas vidas. Enfim, é complicado.

E fala-se de crise, mas a verdade é que para quem tem emprego (e ganha aceitavelmente) é uma óptima altura para aprender a poupar.
Pode ser que aprendamos a ser menos consumistas e a dar mais valor a outras coisas.

Pedro disse...

Viva!

Estou de acordo com essas observações, embora possa compreender que algumas pessoas se deixem influenciar pela publicidade, pela pressão dos filhos e pelo que vêem aos outros.

MakingMoney disse...

Eu também vi essa reportagem na Sabado, alias tenho-a religiosamente guardada e mandei a minha filha ler para que ela percebesse que tempos dificeis se avizinham, mass depois... uma mãe que só dá meio copo de leite as fgilhas mas que pondera comprar uma PSP em 2ª mao? Diz a mãe que em 2ª mao só custa 80 euros, qualquer coisa com 30% do que a senhora recebe de RSI... enfim...

MakingMoney disse...

E ainda digo mais... recordas-te de ha algum tempo ter havido tiroteio na Quinta do Mocho (?) em Camarate, entre ciganos e cabo-verdianos, e depois os jornalistas, reportagens, entao que sucedeu?
Grande choradeira, roubaram-me tudo!!! entao e o que lhe roubaram?
Roubaram-me a playstation e 3 psp e o sistema de surround e 2 plasmas.
PQP = P*t* que os pariu

Francisco o Pensador disse...

Ainda foi à pouco tempo que pude assistir numa pastelaria a um episódio muito singular.
Uma mãe, tomando o seu galãozinho e o seu croissant com chocolate, mostrava-se revoltada e desabafava com uma amiga (amiga da cusquice, entenda-se) que o professor do seu filho mais novo (que frequentava o 2º ano) pediu aos pais dos alunos para comprar uma sebenta adicional e que ela não tinha nem vida nem dinheiro para atender esses caprichos.

Pois é...
Se o "capricho" fosse outro croissant de chocolate....

Vibeke disse...

Não concordo com a stileto (se calhar a discussão dela ja acabou mas nao tive paciencia para ler o rsto dos comentarios lol)
Nao acho que a belota esteja a ser papista. Ela tem toda a razao. Esses casos que referiste podem ser sim exepçoes. Mas maioria queixa-se sim e sem razao...Conheço muita gente que à anos se lamenta que nao tem dinheiro e sempre que podia gaba-se "comprei esta camisa nos saldos por 100 e tal euros" - "ah! é gira...mas nao andavas com problemas financeiros?"
Pois é...

Vibeke disse...

E peço desculpa pelas minhas falhas na escrita, com a crise nao me alimento devidamente e o racicinio...pum! - É verdade!

O Alentejano disse...

As coisas não são assim tão lineares, mas a Belota não deixa de ter a sua razão.

Anónimo disse...

Totalmente de acordo, enquanto têm dinheiro gastam-no todo e qd acontece algum imprevisto toca a recorrer ao banco alimentar e a solidariedade social. Eu tb deixei de dar donativos porque, hoje vemos muitas familias sem dinheiro para comida, mas com dinheiro para carregar telemoveis e pagar a tv cabo e outras. Idosos e pessoas com dificiencia são as unicas que ajudo agora...........